• Ações de marketing da Coca-Cola: Responsabilidade social ou incoerência?

    Será que o refrigerante açucarado mais famoso do mundo não
    pisou na bola ao criar um comercial que estimula a atividade física?

    Não é de hoje que a marca mais popular do mundo realiza ações de marketing capazes de impactar com veemência seus pontos centrais e, ao mesmo tempo, ter tento alcance de público como a Coca-Cola tem. A última da marca na Espanha foi lançar a “pílula mágica emagrecedora” em um anúncio de jornal. A proposta foi a seguinte: as primeiras 50 pessoas que ligassem receberiam uma caixa do milagroso método emagrecedor sem pagar nada.

    E de fato não pagavam, pois a pílula nunca existiu. A grande sacada da marca foi entrar em contato com os familiares das pessoas interessadas e dificultar o caminho que elas fariam até o suposto laboratório de manipulação: carros que não funcionam, táxis que enguiçam no meio do caminho, uma senhora pedindo ajuda para carregar um objeto pesado para o andar de cima de um apartamento, mudança de endereço e etc. Tudo para que as pessoas utilizassem mais o corpo em atividades comuns do dia a dia, fugindo do cômodo sedentarismo e proporcionando uma melhor qualidade de vida. Confira:

    Estimular essas pequenas mudanças na rotina, a troca de hábitos cômodos por iniciativas saudáveis é muito importante e se atêm a missão da empresa de fazer a diferença no mundo, inspirando momentos de alegria e otimismo. Só que com isso, a marca de refrigerante mais popular do planeta acaba dando um tiro no próprio pé e gerando várias críticas ao que eles propõem em suas peças publicitárias, tendo como principal argumento a controvérsia ao estilo de vida que o principal produto da marca condiciona: o alto teor de açúcar, o valor calórico elevado, os compostos químicos conservantes como sódio, acidulantes e corantes podem fazer muito mal à saúde dos consumidores a médio e longo prazo.

    As ações de marketing da Coca-Cola apesar de válidas, excluem totalmente a “culpa” do consumo exagerado dos refrigerantes como um hábito alimentar pouco saudável.  O que vocês acham? As campanhas de marketing da Coca são incoerentes quando levam em consideração as características de seus produtos? Veja estas outras ações e deixe sua opinião nos comentários.

    Abaixo, outros vídeos de ações da Coca-Cola que promovem a atividade física:

    Texto de FastCom

    Espalhe por ai:
  • The Sunday Times divulga vídeo institucional com elementos culturais em plano sequência

    O jornal britânico The Sunday Times veiculou um vídeo institucional muito interessante utilizando vários elementos artísticos / culturais popularmente conhecidos e filmados com a técnica de plano sequência. O resultado foi uma bela obra-prima! O curta-metragem foi criado pela agência de publicidade Grey (Inglaterra) e o vídeo produzido pela Us Production Company – Academy Films.

    Abaixo segue o vídeo pronto e logo depois o making of que possibilita verificar como as cenas foram realizadas, sem cortes.

    Making of

    Espalhe por ai:
  • 30 anos do Macintosh

    E lá se vão 30 anos do lançamento do computador pessoal Macintosh, pela Apple. O produto, lançado em 04 de janeiro de 1984, foi o primeiro a apresentar a relação homem-máquina através de uma interface gráfica mediada por símbolos e controlada mediante uso de um mouse. Interessante considerar que a empresa americana permanece na vanguarda em relação aos segmentos que atua e seus lançamentos continuem sendo ansiosamente esperados pelo mercado, ano a ano.

    Mas, além da inovação do produto em si, o lançamento do produto na época contou com a propagação de uma publicidade que, certamente, está entre as 10 melhores de todos os tempos, na minha opinião. Em uma direta correlação à obra de George Orwell, a publicidade da Apple, também intitulada”1984″ e dirigida por Riddley Scott, coloca o expectador quase como um personagem de um cotidiano comandado pelo “Grande Irmão” (recomendo a leitura do livro para entender melhor como a mídia e o sistema manipulam a sociedade e as pessoas, na visão de Orwell) que, em determinado momento, “quebra” o controle exercido até então com a introdução do Macintosh. Poderíamos até discorrer aqui sobre o que a Apple faz a posteriori, que, também é um controle midiático e manipulador a partir dos seus sistemas operacionais fechados, mas fica para uma próxima ocasião.

    O trigésimo aniversário de lançamento e o sucesso da Apple são situações tão emblemáticas que a companhia comemorou com um evento social e beneficente, além da criação e disponibilização de um site bem interessante em forma de “linha de tempo” e, claro, com a veiculação de um novo comercial (abaixo).

    Espalhe por ai:
  • Super Bowl é um fenômeno de mídia

    Mesmo com as novas tecnologias e mudanças no comportamento do público jovem, ainda impressiona – e talvez ainda mais por esses motivos –  a penetração da transmissão do SuperBowl, da liga NFL 2014, realizada hoje. Estima-se que o custo de cada inserção publicitária de 30 segundos durante o evento chegue a valores próximos de 4 milhões de dólares. Tal investimento é proporcional ao alcance da transmissão do evento, que calcula-se er em torno de 90 milhões de pessoas simultaneamente. O fato é que a comunicação de um produto/serviço será visualizada por boa parte desses telespectadores, ao mesmo tempo. Tal contexto midiático é de fazer inveja para todas as outras mídias em conjunto, inclusive a internet.

    É por isso que grandes marcas de bens de consumo (Heinz, M&M, Sodastream, Exxon, Coca-Cola, Pepsi, RadioShack, Budweiser’s, Volkswagen, Toyota, Audi, Jaguar, Hyundai, Chevrolet, Ford, Maserati, Kia, Doritos, Bank of America) investem em comunicação e patrocínio (a Pepsi, por exemplo, esteve presente com ações de promoção de vendas durante o show do Bruno Mars, ocorrido durante o intervalo) do evento – usando principalmente de muita estratégia de storytelling e teasers – além de toda a primorosa organização, que faz da final um show a parte.

    Abaixo seguem alguns vídeos que foram veiculados hoje:

    Fonte

    Espalhe por ai:
  • Uma pequena dica para o atentimento ao cliente

    Dica do dia:
    Tratar o cliente de forma inapropriada não é simplesmente manter um diálogo grosseiro ou indiferente quanto ao problema mencionado. Excesso de diminutivos e informalidade demais também são itens a serem evitados, mesmo em redes sociais.

    Espalhe por ai: