• Cachaça, um produto genuinamente brasileiro

    Imagem: http://epocanegocios.globo.com

    Em reunião com a presidente Dilma, Barack Obama afirmou que reconhecerá oficialmente a cachaça como produto genuinamente brasileiro. A medida  facilitará a  exportação do produto para o território americano e terá denominação de origem (certificação fiscal como produto exclusivo do Brasil) durante a venda nos pontos de vendas dos EUA. Entretanto, a gentileza é na verdade uma troca, afinal o Governo Brasileiro fará o mesmo com os uísques Bourbon e Tennesse.A medida facilita a emissão do mesmo referendo junto a Organização Mundial de Comércio – OMC e não deixa de ser uma grande articulação mercadológica executada pelo Governo, ao viabilizar mercados exclusivos para os produtores nacionais além do posicionamento do nome cachaça como tipicamente brasileiro.

    “Segundo o Ministério do Desenvolvimento, além de garantir que a cachaça se trata de uma bebida típica e exclusiva do Brasil, o reconhecimento vai permitir às empresas brasileiras venderem o destilado nos Estados Unidos apenas com o nome de cachaça”. Fonte: http://g1.globo.com

    O Brasil produz 1,5 bilhão de litros de cachaça  e as exportações somam US$ 17,2 milhões durante o ano passado. De janeiro a março deste ano, foram exportados US$ 3,2 milhões da bebida.

    Confira no vídeo abaixo como é a produção do destilado:

    Espalhe por ai:
  • Uma Coca-Cola com seu nome

    A Coca-Cola Austrália lançou uma promoção de personalização de rótulos bem bacana. A partir de pesquisa com 150 nomes populares naquele país, várias garrafas do refrigerante de cola vieram customizados com os nomes grafados dividindo a área de rotulagem com a tipologia da marca de Atlanta. A ação faz parte da campanha de verão e ainda oferece a possibilidade para personalização de latas com outros nomes diferentes. Além disso, também é possível personalizar a imagem do seu rótulo/garrafa através do facebook para enviar para seus amigos, ou seja, a Coca-Cola está exatamente na vanguarda do marketing a partir da tendência de proporcionar experimentação (experiências) através do relacionamento consumidor-marca. Estima-se que mais de 200 milhões de garrafas personalizadas foram produzidas.

    Espalhe por ai:
  • Chocante propaganda do Governo Americano contra o tabaco – Tips from Former Smokers

    Veiculado em mídias de massa, as novas propagandas do Governo Americano contra os males causados pelo vício do cigarro prometem novo capítulo na guerra contra os fabricantes e como conscientização para que a população (os jovens, principalmente) não utilize o produto e provoque uma demanda indesejada. Chocante, os vídeos mostram as deformidades e patologias causadas pelo uso do tabaco, tais como as acometidas na jovem senhora Terrie e como elas se viram para mais um dia em suas vidas. A estrutura apresentada cria o impacto a partir das imagens e depoimentos, profundamente concisos e sérios.

    Espalhe por ai:
  • Por dentro do depósito da Amazon

    A Amazon.com é uma daquelas empresas que impressionam pelos números gigantescos em pouco tempo de existência. A empresa de comércio eletrônico criada por Jeffrey Bezos em 1995 – mesmo ano da liberação comercial da internet em território brasileiro pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso – possui estatísticas superlativas e modificou o mercado editorial ao promover a venda de leitores digitais e e-books. Veja alguns dados:

    • Desde 1º de abril, a Amazon.com vende 105 e-books para cada 100 livros físicos. Esta estatística inclui as vendas de livros físicos que não têm versão digital e exclui livros gratuitos.
    • A loja norte-americana da Kindle possui mais de 950.000 títulos digitais à venda atualmente. Dos 111 bestsellers da lista de mais vendidos do The New York Times, 109 estão à venda para leitura no Kindle.
    • Do catálogo de mais de 950.000 livros, mais de 790.000 custam US$ 9,99 ou menos.
      Fonte: Amazon.com / Tradução de Tipos Digitais.

    Para conseguir resultados tão expressivos, é necessário excelente nível de organização logística com movimentação interna alicerçada em processos confiáveis.Consegue imaginar a estrutura dos depósitos da empresa? Bem, confira você mesmo nas imagens abaixo.

    (mais…)

    Espalhe por ai:
  • Quanto custa pagar parcelado?

    Em nosso país, um dos hábitos dos consumidores é o parcelamento dos valores dos bens (duráveis e não duráveis) adquiridos. Compramos a casa própria em 20 anos ou mais, carro em 5 anos, móveis e eletrônicos em 2 anos, roupas, sapatos, acessórios e presentes em até 1 ano e pasmém, parcelamos até os produtos de supermercados e farmácia em 90 dias. Esse comportamento, amplamente e erradamente incentivado pela própria sociedade, Governo, Instituições Financeiras e empresas em geral, é um dos propulsores do mercado interno brasileiro e de nossa economia. Infelizmente, apesar da eficácia que o método causa ao aumentar o giro de mercadorias e aumento do lucro por parte de alguns setores da economia, é ineficaz no contingente individual, ao criar uma massa de endividados. Aos brasileiros, em sua maioria, sobra a frase “correr atrás para pagar as contas”. Esse princípio enriquece os credores e empobrece os compradores, pelo custo alto do dinheiro financiado – juros sobre juros, embutidos na compra parcelada).

    Muito mais salutar é o ato de poupar e aumentar o poder de barganha em uma compra á vista, de modo a fugir dos famigerados juros (a taxa de juros brasileira é uma das mais altas do mundo). Financiar um bem a longo prazo, com taxas de juros nominais de 1% a.m., em uma economia que cresce 3% a.a. e com salários que são remunerados em média 5-6% a.a. é algo como “dar um nó na própria forca”. Entretanto, como disse, a cultura do sonho do consumo impera, e, infelizmente, o dinheiro fácil é vendido aos montes e o pouco raciocínio financeiro recai sobre as famílias brasileiras que, em média, são pobres de informação e conhecimento.

    Imagem/Fonte: http://i0.ig.com/infograficos/2012/economia/parcelado-custo/parcelado3.jpg

    Espalhe por ai: