• Anúncios impressos muito criativos

    Para informar o diferencial de ‘maior cobertura’, a operadora AT&T lançou mão, literalmente, de anúncios institucionais com excelente qualidade artística e muita criatividade. Com o uso de pintura em mãos e braços, cada anúncio impresso representa  países e continentes onde a empresa atua. Mais que uma publicidade, temos um ‘estado da arte’ em 23 imagens, abaixo.

    (mais…)

    Espalhe por ai:
  • UnHate – Você tem ódio do quê?

    Todos devem ter visto a recente campanha (UnHate) da marca Benetton que explora a cultura da paz contra o ódio entre os seres humanos, principalmente a partir das diferenças diversas ( culturais, religiosas, orientação sexual e etc). Marcada pelas comunicações polêmicas e por grandes repercussões, a Benetton dividiu opiniões nas décadas de 80 e 90 com propagandas repletas de questões sociais e tabus como sexo, aids, política, guerra, morte, religião e igualdade. As criações, á época, vingaram pelas mãos talentosas do fotógrafo italiano Oliviero Toscani – autor da célebre frase “A publicidade é um cadáver que nos sorri” e que virou título de livro. Toscani e a própria empresa acreditavam que a publicidade e propaganda deveriam ser utilizadas para propagar algo a mais do que simplesmente o resultado do capital e, claro, tudo com muito impacto. Pena que a sociedade não enxerga em si mesmo a realidade. Na maioria das vezes, o que as pessoas querem ver é o sonho, e não o real. Assim é o mundo da publicidade, dos filmes, das novelas e etc.

    Mas, a propósito, você tem ódio do quê?

    Banner defronte a Catedral de Milão, IT.

    UnHate Film, bem ao estilo publicitário da Benetton. “The film UNHATE by French director Laurent Chanez, tells of the precarious balance and complex interweaving between the drive to hate and the reasons to love”.

    Espalhe por ai:
  • Campanha da Prefeitura de Nova York para desestimular consumo de refrigerante

    Excelente propaganda como parte da campanha da Prefeitura da cidade de Nova York para desestimular a população a consumir refrigerantes. Atualmente, a cidade americana enfrenta índices alarmantes de problemas clínicos devido ao aumento da dieta com excesso de calorias. Tal situação está sendo tratada como calamidade pública pelos governantes e órgãos de saúde.

    A campanha, composta por peças gráficas e aúdiovisuais, promove impacto através da informação racional acerca dos males que o consumo excessivo de alimentos calóricos, incluindo os refrigerantes, causam no organismo. A propaganda abaixo possui fácil entendimento e um mecanismo comunicacional direto e que proporciona atenção e retenção seletiva rápida através da mensagem reforçada pelo visual.

    “Cada 600 ml de refrigerante possui 10 pacotes de açúcar em sua composição”, é o mote principal da propaganda. Confira!

    Espalhe por ai:
  • Os carros do futuro

    É quase unânime nossa curiosidade em saber como será o futuro, principalmente sobre os produtos que serão inventados e disponibilizados para uso. A indústria automobilística, por exemplo, está cada vez mais alicerçada na construção do produto do futuro, hoje. Esse conceito, conhecido dentro do marketing como “produto potencial” (Kotler, 1995) é colocado em prática através do desenvolvimento de projetos/protótipos a partir da inteligência competitiva das empresas e apresentados como conceitos nos Salões de Automóveis.

    Mas, e no passado? Como será que eram as idealizações de produtos do futuro para quem estava na década de 50? Sem o auxílio de computadores e alta tecnologia a tarefa dos projetistas automotivos era muito mais difícil. O vídeo abaixo mostra justamente os “automóveis do futuro” para os habitantes da metade do século XX. Será que algum projeto virou realidade? Confira!

    Espalhe por ai:
  • Serviço de excelência: análise do caso acontecido com a FeDex

    Em um post anterior mostrei um vídeo sobre procedimento inadequado durante entrega de computadores, na China. Novamente e infelizmente, têm-se notícia de exemplo negativo, desta feita envolvendo a marca de uma grande empresa de serviços de entrega. O vídeo foi disponibilizado na internet e já passou a marca de 7 milhões de visitas, caracterizando uma propaganda negativa para a companhia americana FeDex.  Evidente que não há que generalizar tal procedimento e “jogar por terra” toda a imagem positiva contruída por uma empresa, mas, quais os motivos que levam um fato como esse?

    Uma das características pertinentes aos serviços profissionais é a indissociabilidade, ou seja, o serviço é, na maioria das vezes, algo a ser realizado no ato ou no exato momento em que o mesmo acontece (exemplo: corte de cabelos). Oss serviços podem ainda ser divididos e/ou organizados pelas etapas anteriores a sua execução ou ao contato direto com o cliente. No caso de serviço de logistica (entregas, transportes, etc) podemos organizá-lo em etapas contempladas pelo back office(retaguarda) e front office(linha de frente).  Por mais que se tente padronizar as atividades de prestação de serviços, àquelas realizadas pela linha de frente sempre terão como fator de imprevisibilidade a intervenção e mediação humana. E é justamente esse o momento em que o “erro” sempre se torna mais aparente ao cliente/consumidor. Segundo Duhan et al, 2001, os serviços intangíveis realizados pela linha de frente possuem qualidade percebida baseados em conhecimento e experiência.  O vídeo, e o problema acontecido com a FeDex, é altamente didático por isso. O erro (ocorrido na linha de frente, motivado por uma reação permeada pela imprevisibilidade durante a mediação humana) se tornou um fato de alta experiência negativa entre cliente e marca e, assim sendo, sobressaiu sobre possíveis percepções positivas sobre a empresa.

    Ao planejar uma empresa de serviços, há que se acompanhar todos os elos da “Cadeia de Valor de Serviços” e, logicamente, não é tarefa fácil, ainda mais com o crescimento do tamanho e amplitude de atendimentos. Esse acompanhamento deve prever, além dos processos e procedimentos em torno do back e front office, também o comportamento do colaborador e suas atitudes/percepções sobre a empresa e sobre o trabalho, além de política clara e bem informada, mecanismos de retenção de talentos, premiações conforme meritocracia e punições justas.

    A constante dos procedimentos e a satisfação de todos os envolvidos aumenta a probabilidade de realização de serviços de excelência, mas não exime 100% nenhuma empresa de situações como a mencionada no caso FeDex.

    Espalhe por ai: