• avemarketing entrevista #12: Gui Bamberg

    Gui Bamberg, sócio-diretor da Bamberg Comunicação

    Gui Bamberg, sócio-diretor da Bamberg Comunicação e responsável pelo desenvolvimento de tecnologia para realização de promoções instantâneas em máquinas de POS (Point Of Sale), falou com exclusividade sobre a criação do projeto inovador ao blog avemarketing.

    avemarketing: Como foi a concepção, desenvolvimento e teste do produto?

    Como toda inovação, a Bamberg partiu de um desafio de desenvolver algo até então inexistente no mercado: uma promoção de premiação instantânea via cartões de crédito e de débito. O desenvolvimento se deu através do nosso pessoal de inteligência e desenvolvimento, após estudos sobre os meios tecnológicos de captura, sempre observando os compliances do setor financeiro. O teste foi “ao vivo”. Não podíamos errar. E o realizamos através de uma das principais bandeiras de cartões do mundo, numa ação de Natal em shopping onde a cada compra a partir de R$ 150 o portador do cartão com aquela bandeira via instantaneamente subir no comprovante de vendas a frase “Parabéns Você ganhou X reais” ou “Ainda não foi desta vez, continue participando”! Quando o Cliente ganhava, ele ia até a nossa central dentro do shopping, comprovava a compra, ganhava o cartão carregado no valor do prêmio e já saia comprando. Além disso, o vendedor que o atendeu também ganhava. Ou seja, foi bom para o portador do cartão daquela bandeira pela exclusividade da promoção, bom para o lojista pelo prêmio conjunto ao consumidor e bom para a marca, que levou uma promoção moderna, inédita e de caráter instantâneo.

    avemarketing: Fale sobre a convergência entre tecnologia e marketing, e suas vantagens.

    Redução de importantes somas de dinheiro investido em estrutura operacional e que não retornam como benefício ao Clientes. Facilidade e encantamento de participação do consumidor final e redução do budget do Cliente, que assim pode investir mais na premiação. E o principal quesito: os Clientes que estão adotando a política de fazer o setup de uma de nossas plataformas promocionais têm ali uma solução para diversos tipos de ações: Incentivo, promoção ao consumidor final e ao trade, relacionamento, medição de sell-out e avaliação do ROI.

    avemarketing: Já há um projeto futuro, no qual a Bamberg está trabalhando?

    Diversos, sob regime de confidencialidade. Concluímos agora o COMPRA PREMIADA OUROCARD CIELO e estamos fazendo um upgrade na solução promocional da Pirelli. As demais, ainda não podemos revelar.

    ::Confira outras entrevistas exclusivas, aqui.

    Espalhe por ai:
  • avemarketing entrevista #11: Carlos Hilsdorf

    Considerado pelo mercado empresarial um dos melhores palestrantes do Brasil. Economista, Pós-Graduado em Marketing pela FGV, consultor e pesquisador do comportamento humano. Palestrante do Congresso Mundial de Administração (Alemanha) e do Fórum Internacional de Administração (México). Autor do best seller Atitudes Vencedoras, apontado como uma das 5 melhores obras do gênero. Presença constante nos principais Congressos e Fóruns de Administração, RH, Liderança, Marketing e Vendas do país e da América Latina. Referência nacional em desenvolvimento humano.

    Site: www.carloshilsdorf.com.br
    Twitter: @carloshilsdorf

    avemarketing: Carlos, para começarmos, fale um pouco sobre o conceito da “timeless society” e a influência no comportamento dos mercados consumidores.

    A timeless society é a sociedade sem tempo. Uma sociedade acelerada pela globalização, hiperinformação e competitividade acirrada. Nela, as pessoas estão sobre constante e crescente pressão na busca por resultados superiores. Isso afeta totalmente o comportamento dos consumidores; o tempo passa a ser escasso e, portanto, um capital altamente valorizado. Torna-se preferível pagar um pouco mais para resolver as coisas mais rápido e em horários mais convenientes. As empresas que compreendem esta característica da sociedade moderna de consumo otimizam o tempo de atendimento aos seus clientes e tornam-se preferidas por eles, escapando da guerra de preços ao apresentarem como diferencial a eficácia no atendimento em curto espaço de tempo. As empresas que operam no esquema 24/7 (vinte quatro horas por dia, sete dias por semana) estão em busca deste diferencial.

    avemarketing: Nunca a palavra ‘convergência’ possuiu tanta relevância como atualmente. Como as empresas devem adequar-se a essa tendência?

    O conceito de convergência engloba um grande movimento da economia partindo dos anseios dos consumidores. Em função de vivermos a timeless society e do estresse de consumo de uma oferta gigantesca de produtos, o consumidor começa a demandar soluções integradas (tudo em um) – isso poupa tempo, aumenta a praticidade e torna a escolha mais objetiva. Este movimento de convergência está ocorrendo em todas as áreas. As empresas passam a demandar por profissionais com formação cruzada e multiexpertise. No mundo acadêmico, cresce o foco em multidisciplinaridade e interdisciplinaridade, e assim por diante.

    Os produtos tornam-se multiúso e multifuncionais. Desaparece a nítida divisão entre produtos e serviços. Os consumidores passam a exigir soluções múltiplas para as suas demandas, soluções que não podem mais serem atendidas apenas pelos aspectos tangíveis dos produtos.

    O marketing deixa de buscar a criação de produtos e serviços que satisfaçam apenas uma necessidade e passa a se dedicar à criação de soluções integradas que atendam simultaneamente a diversas necessidades. É o caso dos smartphones, impressoras multifuncionais, etc. O Marketing passa a se dedicar mais intensamente à criação de novas estratégias de atração e retenção de clientes pela via do relacionamento de longo prazo.

    As melhores empresas, aquelas que estão verdadeiramente plugadas em cenários e tendências, estão se adequando à convergência, outras menos plugadas e mais lentas teimam em acreditar que isso é apenas um modismo. A análise de cenários e oportunidades jamais será modismo, mesmo considerando que os cenários e oportunidades são dinâmicos e estão em constante transformação, cada momento futuro está atrelado ao que o antecedeu. Perder oportunidades continua sendo o maior pecado de empresas e profissionais lentos e desplugados do que está acontecendo no mundo.

    avemarketing: Para Baudrillard (Francês, autor da obra “O Sistema dos Objetos), “a comunicação se desenvolve em torno da mídia – mais especificamente do seu discurso”. Como você analisa o discurso utilizado nos meios digitais e nas mídias sociais?

    O pensamento citado de Baudrillard, embora muito interessante, possui críticas igualmente interessantes, das quais a mais profunda propõe que a comunicação se desenvolve em uma simbiose entre a mídia (o que ela propõe) e o público a que ela se dirige (onde ela se abastece). Minha interpretação sobre o discurso utilizado nos meios digitais e nas mídias sociais é que ele retrata a timeless society, daí os reducionismos, sinais gráficos que simbolizam expressões e emoções e a própria convergência. A Ainda estamos numa certa infância das mídias sociais (olhando para a imensa maioria), as pessoas ainda estão celebrando a democratização da exposição de suas particularidades, e muitas escrevem por escrever. Posições mais ricas, engajadas e com conteúdo ainda são minoria, mas tendem a crescer. Todos os novos canais tendem a ser cada vez mais bem aproveitados por todos os segmentos da sociedade. Se hoje as mídias sociais ainda são um fenômeno muito juvenil, isso se deve também ao fato de que estes jovens foram alfabetizados para a informática, enquanto seus país e avós ainda são mais resistentes à linguagem. Isso tende a desaparecer. Penso que as mídias sociais evoluíram muito e que teremos muitas surpresas com as consequências político, sociais e econômicas delas advindas em futuro bem próximo, os sinais já estão visíveis.

    avemarketing: De acordo com a pesquisa ConecteMídia(2010), realizada pelo Ibope, “53% dos entrevistados se sentem pressionados com a quantidade de informações atuais”. Você concorda que há muita informação desnecessária e excessiva? E como fazer para destacar-se no meio de tanto trash, na internet?

    Esta é também a Era da Hiperinformação, consequência do boom da internet e da democratização das postagens. A pressão é maior para os que confundem informação com conhecimento. A informação é um “objeto” que reduz uma incerteza; assim nem tudo o que está na rede é informação e muito menos informação relevante. O conhecimento é um processo inteligente e coerente que transforma, reúne, seleciona e organiza a informação de forma a permitir que ela seja utilizada na solução de problemas concretos e no crescimento do saber.

    Este excesso de informação gera estresse, confusão e a disseminação de inverdades e imprecisões muito perigosas. Em breve será muito comum que contratemos profissionais de consultoria em conhecimento relevante, especializados em separar o lixo do ouro dentro da hiperinformação.

    Há muitos tipos de destaques. Os do tipo viral precisam ser ousados, inovadores, impactantes ou muito engraçados. Destaques mais setorizados devem primar pela originalidade, assertividade e relevância de conteúdo.

    Ser diferente é sempre um bom começo, ser útil é fundamental se estivermos pensando profissionalmente. Ser breve e conciso é definitivamente necessário, a linguagem da mídia é rápida!

    avemarketing: É fato que ainda muitas pessoas têm uma visão deturpada do marketing. Comente a respeito.

    O ser humano tende a tratar com desdém ou transformar em monstros, tudo aquilo que não conhece bem. Ainda há muita ignorância em torno do Marketing. Uns o confundem somente com propaganda, outros com promoção, etc.

    O fato é que o Marketing é o coração da ciência da Gestão. Todas as estratégias são elaboradas para cumprir objetivos de marketing. Para compreender isso é necessário entender que é o marketing quem estabelece o alvo a ser atingido e os caminhos a serem percorridos para atingí-lo. O departamento de marketing pode estar hierarquicamente submetido à gestão, mas a visão de marketing é inerente ao processo de tomada de decisão em lato sensu.

    O marketing é que estabelece a ponte entre a empresa e os clientes, compreendendo-os e criando produtos, serviços e interações que os aproximem. Seja entendido como a ciência do mercado ou como a práxis da criação de novos mercados e novos consumidores, o marketing é o indispensável!

    Os melhores profissionais do mercado são os que, independente de sua formação inicial, aprofundaram sua bagagem intelectual estudando marketing!

    avemarketing: A essência do marketing está na dinâmica e prática dos seus conceitos fundamentais, a partir da análise e estudo sistemático do mercado e dos ambientes macro e micro. Carlos, como você vê o Brasil em termos de desenvolvimento do marketing como filosofia empresarial?

    Vejo um Brasil que começa a redescobrir o marketing, agora em maior profundidade. Vejo que a maior causa de insucesso nas pequenas e médias empresas no Brasil é a falta quase absoluta da utilização de ferramentas de gestão. Muitas delas nasceram sem um estudo de mercado e viabilidade econômica do negócio. Estes micro e pequenos empresários desconhecem o marketing e, por desconhecê-lo, arriscam seu patrimônio e o futuro do negócio. Se estas pessoas conhecessem marketing ou estivessem orientadas por um bom consultor de marketing, não veríamos uma taxa tão alta de fechamento destes negócios no Brasil!

    O fato positivo é que os empresários estão começando a despertar para isso. Estamos vencendo o foco míope de que basta ter o melhor produto (qualidade) para termos êxito no mercado. Começa no Brasil um despertar para o fato de que não é coincidência que as melhores empresas do mundo valorizam e investem firmemente em marketing e que ele está na análise que rege todas as decisões responsáveis pela criação do futuro e sustentabilidade do negócio.

    avemarketing: Para finalizarmos, deixe uma mensagem aos leitores do blog avemarketing.

    Se você está lendo este blog, parabéns, está na direção certa. Seja você profissional de marketing ou possua outra formação, aqui você encontrará conteúdo relevante para repensar as questões essenciais do mundo dos negócios e compreender a fundamental importância do marketing nas estratégias vencedoras de empresas e profissionais que fazem história em um mundo tão competitivo quanto o atual. Educação continuada não é um slogan ou uma opção, é uma necessidade, uma condição para vencer diante da complexidade crescente da sociedade mundial de consumo. Estaremos juntos por estes caminhos de pesquisas e descobertas, do desenvolvimento de novas técnicas e ferramentas que permitam estabelecer a ponte que aproxima as pessoas das empresas. Venha conosco.

    Leia também

    :: avemarketing entrevista #10: Sandra Turchi
    :: avemarketing entrevista #9: Rony Cacio – Comida dos Astros
    :: avemarketing entrevista #8: Fernando Monção
    :: avemarketing entrevista #7: Cláudia Seabra
    :: avemarketing entrevista #6: Luli Radfahrer
    :: avemarketing entrevista #5: Priscilla Aloi

    Espalhe por ai:
  • Food Service Brasileiro

    O amigo Alexandre Silva, Gerente Nacional de Food Services/Novos Negócios da PepsiCo Brasil e editor do blog Alexandre Silva Food Service & Mundo Corporativo, foi entrevistado pelo programa Cozinha Profissional. O tema abordado foi o mercado de Food Service brasileiro e as novidades da PepsiCo. Assista!

    Aproveite e acompanhe o twitter do Alexandre.

    Espalhe por ai:
  • avemarketing entrevista #10: Sandra Turchi

    sandra-trurchi-r1Sandra Tuchi, Graduada pela FEA-USP, pós-graduada pela FGV-EAESP e MBA pela Business School São Paulo com especialização pela Toronto University e em empreendedorismo pelo Babson College em Boston. Especialista em Marketing Digital e  E-commerce.

    É superintendente de Marketing da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) instituição que administra o SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito).

    Coordena o curso “Estratégias de Marketing Digital” da ESPM, onde também lecionou “Trade Marketing” e “metodologia de pesquisa para TCC”, por mais de nove anos. Profª. de Comunicação no Varejo nos cursos do GV-PEC da FGV-EAESP.

    VP de Marketing da ABRAREC – Associação Brasileira de Relações com o cliente.

    É articulista de diversos veículos como: Revista ESPM, Revista Marketing, Revista B2B, Revista Cliente SA, Revista Carreira&Negócios, Revista Perfil Empresarial, Portal MundoMarketing, Portal Pequenas Empresas Grandes Negócios, Portal Terra , Jornal Diário do Comércio, Jornal Propaganda e Marketing , entre outros.

    Escreve e palestra sobre temas como: Estratégias de Marketing Digital, Estratégias de E-commerce, Redes Sociais, Consumidor de baixa renda, Comunicação digital, Pequenas empresas, Negócios e Varejo. É autora e coordenadora do livro “E- COMMERCE E ESTRATÉGIAS DE MARKETING DIGITAL” e Conselheira do “Doutores da Alegria”.

    Em uma conversa muito interessante com o blog avemarketing, através da internet, Sandra Turchi falou sobre Marketing, empreendedorismo,  tendências e redes sociais, com uma capacidade intelectual ímpar.

    Confira a entrevista abaixo:

    avemarketing: Comente sobre seu dia a dia como profissional de marketing.
    Coordeno uma equipe de 35 pessoas, divididas em cinco núcleos: 1-propaganda e promoção; 2-Comunicação Corporativa; 3-Eventos, 4-Inteligência de mercado e 5-Marketing de Relacionamento. Creio que o maior desafio, e o mais interessante, é lidar com pessoas com histórias e anseios diferentes e tentar alinhar todos em prol de um mesmo objetivo.

    avemarketing: Em 1969, Theodore Levitt escreveu em seu artigo “Miopia em Marketing” que as empresas concentram-se muito em seus aspectos internos e minimizam a análise de mercado. Atualmente, qual sua opinião sobre isso? É correto estabelecer um princípio de “altruísmo empresarial”?
    Creio que não seja possível generalizar, afinal, temos uma diversidade tão grande de empresas, com tamanhos, setores e problemas diferentes, que não me parece simples estabelecer um padrão único de comportamento. Vejo empresas que já estão muito evoluídas em suas análises de mercado, e outras que, por suas características próprias ainda tem muito a evoluir. Veja o caso das MPEs, que normalmente é o próprio dono que cuida do marketing da empresa, em geral eles não têm estrutura ou equipe dedicada, então como exigir que façam pesquisas ou análises profundas do mercado, se eles também estão no dia a dia da operação, para manter a empresa funcionando… não é tão simples !

    avemarketing: Normalmente as empresas desenvolvem mais a faceta pública do marketing (ferramentas estratégicas) em detrimento da análise e planejamento. Você concorda que há maior dificuldade na articulação do estudo do “ambiente de marketing”? Porquê?
    Em minha experiência trabalhando com marketing ao longo de quase vinte anos, a área mais complexa a ser estruturada nas empresas é, sem dúvida, a área de inteligência de mercado, pois em geral não há muitos profissionais com expertise nessa área e as escolas simplesmente não desenvolvem profissionais desse tipo, ele tem que ser “criado” no trabalho, diferentemente de profissionais de criação, ou de comunicação, por exemplo. Então, o que observamos é isso mesmo, em geral há uma maior exposição da empresa na mídia do que um planejamento estruturado que sustente suas estratégias. Esse é um tema que merece muito mais cuidado e atenção por parte das empresas.

    avemarketing: Musandra-turchi1itas pessoas e empresários possuem uma visão deturpada do marketing. Você já conviveu com tal erro de percepção em sua trajetória profissional?
    Sempre. Em geral, a principal confusão que se faz é achar que marketing é igual a propaganda e promoção. Muitos empresários não conhecem a totalidade da atuação do marketing. Veja, no meu caso, eu tenho cinco áreas, ou seja, não é só propaganda e promoção. Essa confusão é muito comum, pois as pessoas confundem inclusive a questão da formação, entre marketing e publicidade. Muita gente acha que é tudo a mesma coisa. Acredito que as mídias especializadas pecam ao não esclarecer melhor o que faz cada tipo de profissional.

    avemarketing: Qual sua opinião sobre as tendências e o futuro do marketing?
    Bem, estamos no meio de um furacão agora, pois creio que nesses aproximadamente 50, 60 anos dessa disciplina nunca houve uma mudança tão grandiosa como essa que estamos presenciando com o surgimento da internet. Essas mudanças impactaram de forma radical o comportamento do consumidor, e por conseguinte, como se deve fazer marketing. E os profissionais que não estiverem se atentando para isso estão com sérios problemas em suas carreiras.

    avemarketing: Mais de 98% das empresas brasileiras são micro e pequenas empresas, conforme dados do Sebrae (2007). Como você vê o desenvolvimento e prática do marketing no Brasil?
    Como apontei acima, as MPEs tem como principal peculiaridade a falta de estrutura dedicada ao marketing, o que dificulta bastante a compreensão do todo, o planejamento das ações, enfim, uma execução adequada. Além disso há a questão dos orçamentos limitados e de certa resistência por parte dos empresários em divulgar-se em novas mídias. Com isso, a prática do marketing no Brasil real, ou seja, nas MPEs, torna-se um grande desafio. A internet surge como ótima opção nesses casos, pois se bem utilizada, pode viabilizar a localização da empresa, a busca por novos clientes, o foco em seu segmento de mercado, e isso tudo a preços muito mais acessíveis do que a mídia tradicional. Antes, para uma empresa ser localizada ela tinha que investir muito mais.

    avemarketing: Philip Kotler afirmou, em entrevista à HSM Management (edição nº 75 de julho – agosto de 2009, p. 122 ), que as pessoas passam mais tempo conversando com amigos em telefones e computadores (através de redes sociais como Facebook, MySpace e Twitter) e menos tempo assistindo TV. Vivemos um período de mudança comportamental veloz e impactante. Devemos mergulhar de vez nas redes sociais?
    Como mencionado anteriormente, estamos passando por uma grande transformação no comportamento das pessoas, trazida pela internet, e isso impacta praticamente tudo. Não digo que temos que mergulhar nas redes sociais, mas a empresa tem que procurar conhecer do que se trata, como funciona, até mesmo para não ser pega de surpresa, pois mesmo que ela não esteja fazendo nada nesse sentido, alguém pode estar fazendo por ela: seus clientes, seus concorrentes, etc. Com isso, sua marca já pode estar sendo impactada e ela nem se deu conta disso! E tenho visto com perplexidade que há um número enorme de empresas que ainda não se deu conta disso, que está deixando pra ver isso amanhã.

    avemarketing: Para finalizar, quais são suas recomendações para os futuros profissionais de marketing?
    Em primeiro lugar, vejam menos novelas!! Vocês vão precisar desse tempo para se manter atualizados, pois as mudanças têm ocorrido numa velocidade alucinante, e quem acreditar que pode depender apenas de sua formação, com graduação, MBAs, etc… estará correndo sérios riscos. A atualização deve ser freqüente, quero dizer, diária mesmo, não dá para esperar o próximo curso.

    Leia também

    :: avemarketing entrevista #9: Rony Cacio – Comida dos Astros
    :: avemarketing entrevista #8: Fernando Monção
    :: avemarketing entrevista #7: Cláudia Seabra
    :: avemarketing entrevista #6: Luli Radfahrer
    :: avemarketing entrevista #5: Priscilla Aloi

    Espalhe por ai:
  • Tablet e iPad – Novas tecnologias no mercado corporativo

    “Novas tecnologias, tais como os tablets e o iPad,  ganham preferência no mercado corporativo”. Este foi o tema da matéria de capa da revista Promo Insights, uma publicação da Forma Editora. A matéria, elaborada pela jornalista Ana Luiza Panazzolo, contou com minha participação como entrevistado.

    Segundo o especialista e MBA em marketing, consultor de empresas, professor universitário, sócio do Itam -Instituto de Treinamento e Assessoria em Marketing Ltda., e autor do blog avemarketing, Elcio Fernando, vale a pena as empresas nacionais investirem nessas novas tecnologias, sim. “O Brasil é um país com possibilidades em praticamente todos os mercados econômicos, mas, evidentemente, é fundamental estudar o macro ambiente de marketing e calcular o tamanho e potencial do mercado a fim de adequar as ferramentas estratégicas aos objetivos mercadológicos”, comenta.

    Confira a revista na íntegra e a entrevista completa aqui ou baixe a versão em pdf.

    reportagemrevistapromoinsight

    Espalhe por ai: