• Trading-down

    Um conceito importante para se aprender é o Trading-down. Consiste em lançar um produto para um segmento mais popular com uma marca diferente da que você já atua no momento (seja líder de mercado ou não). Um caso recente e interessante foi o Trading-down feito pela excelente Kopenhagen e seu grupo acionista, ao anunciar o lançamento da marca Brasil Cacau e todos os derivativos comerciais em modelo de franchising para atingir oportunidade oferecida pelo aquecimento das classes C e D e concorrer diretamente com a também excelente marca Cacau Show.

    Clique na imagem para melhor visualização.

    Espalhe por ai:
  • Ambiente de Marketing – exemplo

    mascaraAo elaborar o planejamento estratégico de marketing, é fundamental analisar as influências ambientais, ou o chamado “ambiente de marketing”(KOTLER, 2004, p. 59). O ambiente de marketing é composto pelos ambientes micro e macro, também chamados de interno e externo, respectivamente. Um dos itens de análise do macro ambiente é o “ambiente natural” e atualmente temos um exemplo de fato que desencadeia algumas mudanças de comportamento dos moradores de nosso país.

    Clique no link abaixo:

    Vendas de máscaras e gel antisséptico aumentam até 500%.

    http://noticias.terra.com.br/gripesuina/interna/0,,OI3887889-EI13839,00-Vendas+de+mascaras+e+gel+antiseptico+aumentam+ate.html

    Espalhe por ai:
  • Desmistifique o Marketing

    No artigo “Desmistifique o Marketing”, esclareço que conhecer o significado  correto do Marketing e praticá-lo de maneira ética é dever do profissional de marketing afim de contribuir para que as empresas e organizações  alcancem seus objetivos de forma honesta.

    Desmistifique o Marketing

    Muito alta é a incidência de uso da palavra “marketing” em meios de comunicação. Infelizmente as conexões com o verdadeiro conceito da palavra não são reais e verificamos constantemente uma gama de absurdos proclamados em nome de “ações de marketing”. Marketing nada tem de enganação, “jeito brasileiro” ou até mesmo “jogada” ou algo que se realiza para levar vantagem sobre outrem.  Em nenhuma hipótese deve ser considerada ação de marketing a geração de visibilidade a qualquer preço e tampouco corresponde a ações isoladas e também não é sinônimo de propaganda. Conhecer os conceitos desta carreira e pregar corretamente suas postulações e estudos devem ser tarefas corriqueiras de quem dela se utiliza.  Marketing é uma área do conhecimento que estuda os mercados, as relações de troca existentes dentro deste mercado a partir da análise criteriosa dos ambientes de marketing (macro e micro ambientes) com vistas a definir o plano de marketing que contemple objetivos e estratégias empresariais. Qualquer outra tentativa de simplificar o termo “marketing” é reprodução de um senso comum equivocado. O equívoco foi causado, conforme RICHERS (2000, p. 5) “pelos sistemas de comunicação, tanto a mídia impressa e falada como também a ação de algumas agências de publicidade, que usam, e às vezes abusam da palavra marketing, associando-a indevidamente a ações, fatos e conceitos que não lhe dizem respeito”.

    O Marketing tem como marco inicial alguns fatos determinantes na história da humanidade. Os primeiros a serem citados são a organização da agricultura produtiva pelo homem e a construção das sociedades civis. Em um passado mais recente, destacam-se a “Livre Concorrência”, Invenção da Máquina a Vapor e Revolução Industrial com destaque para o aumento dos fatores de produção e organização das empresas através de métodos científicos, alicerçados pelos estudos da Administração Clássica e Científica, e as relações de troca. Até meados da década de 30, acreditava-se que todos os produtos eram absorvidos pelas demandas e não havia uma preocupação com o real estudo de fatores de mercado nem com a possibilidade de que a procura pudesse ser criada ou estimulada, pois havia uma demanda latente considerável neste período. (mais…)

    Espalhe por ai:
  • Manual de orientação aos consumidores – Anvisa

    Provavelmente muitos desconhecem, mas a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA publicou no ano de 2008 o “Manual de orientação aos consumidores. Educação para o consumo saudável” (ISBN: 85-88233-18-5). Este manual, ilustrativo e com entendimento fácil, orienta a todos sobre as informações obrigatórias na rotulagem de alimentos, principalmente sobre a  Informação Nutricional, com exemplos de situações corretas e incorretas. A publicação  também dá conhecimento sobre  os produtos light e diet, de acordo com a legislação brasileira. Ao final, apresenta tabela de porções conforme medidas caseiras adotadas rotineiramente.

    Você sabia que, em rótulos, é proibido destacar a presença ou ausência de determinados componentes que sejam normais ou não existam em alimentos parecidos?

    Exemplo:  “Óleo sem colesterol” – todo óleo vegetal não apresenta em sua composição colesterol. O certo é: “Óleo sem colesterol, como todo óleo vegetal”.

    Acesse o manual completo aqui.

    Veja abaixo a tabela nutricional.

    copia-de-tabela-nutricional1

    Fonte: Rotulagem nutricional obrigatória: manual de orientação aos consumidores. Anvisa. 2008.

    Espalhe por ai:
  • Embalagem esperta

    Seguindo a linha das “embalagens inteligentes”, a Skol apresentou no final de 2008 a embalagem Skol “seta”, dotada de tinta termo sensível, que indica quando o produto está gelado (“Seta azul? Skol gelada”).

    A decisão em relação às embalagens faz parte do que KOTLER (2003, P. 211) chama de “Decisões individuais de produtos” e deve ser analisada criteriosamente devido a importância estratégica que as embalagens possuem no contexto do marketing.

    skolroda1

    Espalhe por ai: