• O ato de organizar como ferramenta administrativa


    A organização, como ato de organizar, fomenta as condições para um melhor controle empresarial e também para a rápida identificação das partes organizadas. Segundo Maximiano (2000), a organização é um processo que divide um todo em partes em uma estrutura que facilite os objetivos e manuseio, conforme algum critério. Para Robbins (2004) é o arranjo sistemático de pessoas para alcançar propósitos específicos. Como premissa inicial, todo empreendimento ou parte dele deve possuir critérios rigorosos de organização e estes devem ser estendidos às organizações departamentais, funções, recursos utilizados e pessoas.

    A habilidade de organizar, quando bem empregada, faz realmente a diferença. Algumas empresas simplesmente não exploram o melhor de si por pura falta de planejamento organizacional diário, seja no ambiente de trabalho, processos administrativos, métodos de controle, produtos e pessoal envolvido. Tal erro é muito comum em pequenas empresas que adotam empiricamente um estrutura organizacional simples e, a medida que crescem, não migram sua organização para modelos mais adequados.

    Algumas dicas simples e úteis:
    – descreva todas as funções empresariais existentes na sua empresa, departamento, etc. Se for organizar outras coisas (uma viagem, festa, vitrine, guarda-roupas, etc), descreva todos os itens necessários;
    – agrupe-o(a)s por características afins e utilize algum elemento “paupável” (cor, ordem alfabética, prioridade, ordenação lógica, estilo, etc);
    – determine as pessas certas para cada função de acordo com habilidades específicas (quem – faz o que – quando – onde – quais recursos – resultados);
    – estabeleça um cronograma de trabalho;
    – treine as pessoas envolvidas e motive-as a propor melhorias;
    – avalie sistematicamente a organização utilizada. Uma ferramenta simples é o check list (lista de checagem);

    Como exemplo, cito o excelente trabalho relacionado ao tema desenvolvido por Carlos Alberto Saldanha, disponível no blog http://coordenando.wordpress.com/. A didática é muito boa e o resultado visível. Veja o vídeo abaixo:



    Espalhe por ai:
  • O Marketing e a Administração Clássica

    Frederick Taylor

    Alguns problemas de marketing são motivados ou originados internamente, ou seja, dentro das organizações. Para que o profissional de marketing consiga enxergá-los corretamente, é importante conhecer aspectos relativos a estrutura de uma empresa e ferramentas de organização e métodos. O primeiro aprendizado consiste em compreender as teorias clássicas e científicas da Administração moderna.  Neste sentido, a contribuição de Frederick  W. Taylor (Os Princípios da Administração Científica, 1911) são vitais para o entendimento inicial de como atribuir melhores métodos para o trabalho. Os princípios de Taylor objetivam a melhoria da eficiência dos processos, resumidos nas seguintes técnicas abaixo:

    • Estudos de tempos e movimentos.
    • Padronização de ferramentas e instrumentos.
    • Padronização de movimentos.
    • Sistema de pagamento de acordo com o desempenho.

    Como podem perceber, o marketing é o estudo sistemático do mercado e de todas as variáveis que o compôem, afim de determinar estratégias que perfaçam objetivos propostos. Além disso, deve-se compreender todos os mecanismos e ferramentas internas as organizações para, em conjunto com outras áreas, diagnosticar falhas e melhorar desempenhos que impactam nas variáveis do marketing (4P`s).

    Espalhe por ai:
  • Missão, visão e valores


    No desenvolvimento de um plano de negócios, um dos itens que assegurará rumos importantes para a organização é a definição conceitual da empresa. A definição conceitual é o start para a manutenção da filosofia empresarial, a partir do propósito do negócio.

    Desta forma, cada empreendedor deve definir os conceitos de missão, visão e valores para serem seguidos e que nortearão algumas decisões gerenciais. Também é importante considerar que esses itens não devem ser “engessados”, podendo ser atualizados quando necessário.

    Bem, a missão é a razão de ser de uma empresa. É a definição do que a empresa é, ou, para que ela serve. Já a visão é o sonho, ou seja, é o que a empresa vai se tornar, no futuro;  o que ela aspira. E os valores são as crenças e princípios mais importantes que devem estar no dia a dia da organização e que nortearão o comportamento dos colaboradores.

    Veja alguns exemplos: HSBC; Ericsson; GerdauSiemens; Aché; Pão de Açúcar; Arcor; Petrobrás.

    Só para lembrar, através do TWITTER você pode enviar definições com #obrasilvistocomoumaempresa na frente do que você escreveu.

    As melhores conceituações serão incluídas em um post colaborativo aqui no blog avemarketing.

    Espalhe por ai:
  • O Salário

    Por Elcio Fernando.

    Muito se discute sobre a discrepância salarial osalarioavemarketing2que acomete o Brasil atualmente. Segundo dados do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD, a República Federativa do Brasil ocupa a oitava colocação entre os países com maior desigualdade social (PNUD, 2003). Esse índice de desigualdade social exorbitante está vinculado à distribuição e/ou concentração da renda da força produtiva. Entende-se por força produtiva a parcela da população em idade economicamente ativa, ou seja, que produz algo para o país, intelectualmente ou através do emprego da força física. E, é justamente esta característica diferenciadora das duas condições de mão de obra que determinam grandes diferenças nas recompensas natural do trabalho, ou seja, o salário, conforme Smith (1776). O trabalho é condição do ser humano para a obtenção de produtos e serviços que satisfaçam suas necessidades de sobrevivência e crescimento. É com o trabalho que o ser humano e os Estados Federativos acumulam capital para usufruto de um maior poder de barganha. Todas as relações comerciais são desenvolvidas a partir do poder de compra, ou, acúmulo de capital (riqueza ou dinheiro). Aos cidadãos imersos no regime capitalista, o poder de compra é representado pelo rendimento/recebimento e/ou salário obtido e o mesmo precisa sobreviver de seu salário. A natureza humana é dotada de princípios competitivos – de sobrevivência e perpetuação da espécie e outros, como fatores subjetivos, já citados por J.M. Keynes(1936) – e a sobrevivência competitiva também colaboram para a desigualdade entre os homens.  Mas, como determinar a variação de salários mediante a divisão de tarefas? Para Smith (1776) “… os salários do trabalho variam segundo a facilidade ou dureza, o grau de limpeza ou sujeira, o prestígio ou desprestígio da profissão”.  Ainda, conforme Smith (1776), “… os salários do trabalho variam de acordo com o grau de confiança”.  Além do exposto, a qualificação e capacidade de retorno do capital investido também são fatores decisivos na definição de valor da recompensa pelo trabalho. Importante considerar a ideia de eficiência (produtividade) e eficácia (resolver problemas) conforme Maximiano (2000), como elementos que sugerem maior ou menor remuneração de um indivíduo. Ainda, como objetos influenciadores de valores nominais existem os pisos salariais estabelecidos por legislação correlata e a capacidade financeira de uma organização.

    Ao trabalhador, como artifício para crescimento salarial, e seguindo o raciocínio exposto no parágrafo anterior, tem-se na quantidade de anos de estudo (qualificação) uma maior possibilidade de aumento de salário, conforme demonstram os dados do CPS/FGV(2007) – Quadro 1, abaixo.

    osalarioavemarketingDeste modo, contextualiza-se o salário como um conjunto de habilidades e situações que fornecem maior ou menor recompensa pelo mesmo, com verídico crescimento a partir do tempo de aprimoramento de um indivíduo, e da exclusividade, ou seja, quantidade de indivíduos que desenvolvem desempenho eficaz em atividades laborais com importância intelectual e produtiva. Assim sendo, somente um respaldo estrutural básico e educacional/técnico de qualidade a médio e longo prazo, além de crescimento econômico para garantir a diminuição da desigualdade social.

    Espalhe por ai:
  • Linha de produção de vagão para metrô

    Veja vídeo interessante de uma linha de produção de vagões para o metrô de NY-USA.

    Ainda hoje ficam evidentes  os princípios postulados por Taylor através da obra “Princípios da Administração Científica”, publicada em 1911, no que tange a ênfase nos métodos racionais, padronização e divisão de tarefas.

    Espalhe por ai: