• O comportamento de consumo de quem mora sozinho

    Businessman working outside in front of trees

    Uma pesquisa realizada pelo instituto Market Analysis de opinião pública, apresentou um estudo sobre o comportamento e os hábitos do consumidor que mora sozinho. Pelo que foi analisado, é possível perceber que este grupo de consumidores são mais exigentes, principalmente, no fator preço.

    Segundo o estudo, para os consumidores que moram sozinhos, só vale a pena adquirir produtos mais caros se eles tiverem a garantia de mais durabilidade. Diferentemente de consumidores que moram com suas famílias, e que para administrar melhor o tempo para cuidar do lar, não abrem mão de produtos caros, mas que garantam conforto e/ou praticidade.

    Outro fator apontado pelo estudo foi o lazer, que para a maioria dos consumidores que moram sozinhos está relacionado às compras. Além disso, consumidores solitários costumam passar mais tempo na internet do que assistindo televisão.

    Além dos fatores de consumo, o fator de hábitos saudáveis esteve envolvido no estudo e mostrou que esse público possui menos hábitos saudáveis e consomem mais fast food, comidas congeladas e frequentam mais bares e restaurantes. O consumo de doces e bebidas alcoólicas também costuma ser mais intenso.

    De uma maneira geral, esses estudos e pesquisas de perfil dos consumidores são muito importantes para que as empresas possam ter mais chances de acertar na criação de seus produtos e em como o marketing será utilizado para afetar diretamente o público-alvo. Exemplo disso é o próprio perfil de consumidores que moram sozinhos, já que, pode-se notar que de uns tempos para cá esse tipo de consumidor tem aumentado cada vez mais sendo um dos mais relevantes do mercado.

    As empresas devem se preparar para atender às necessidades dos consumidores que moram sozinhos, pois a presença deles tem previsão de ser ainda maior futuramente. Uma das medidas a serem tomadas diz respeito a forma de consumo, já que esse público a partir da pesquisa foi constatado que preferem fazer compras em um estabelecimento único que ofereça variados produtos e dos mais diversos segmentos.

    Fonte: FastCom

    Imagens: Corbis Images

    Espalhe por ai:
  • A gente se linka aqui!

    Unir idéias, criar um projeto e voltar isso de uma maneira que dê retorno financeiro sem que seus pensadores gastem um centavo, mas que em troca dê rendimentos. Assim temos as Startups. Com os mecanismos de buscas e a maior confiança no comércio eletrônico, houve o desmembramento dos grupos de compra coletiva. O “cardume” vitual virou o Peixe Urbano com participação do “showman”, Luciano Huck, que reverte o destaque/imagem que possui juntando o seu empreendorismo em favor das correntezas do mercado.

     Antes, com uma Câmera na Mão e uma Idéia na Cabeça, um grupo de jovens se engajava em um movimento com produção de filmes baratos voltados para a realidade brasileira, hoje, temos movimentos de âmbito global mas que se transformam em sacadas criadas diante de necessidades particulares (falta de emprego, renda fixa) e pessoais (buscando auxiliar também o meio onde se vive).

    A questão da mobilidade tem sido um chamariz para a criação de aplicativos. Seja para conhecer pessoas ao redor do onde se está (Tinder), seja para ir de um ponto ao outro, como os apps de transportes públicos (ex.: Moovit) e de taxis (para citar, o primeiro, Easy Taxi). A rentabilidade vem em cima de como atrair parcerias, investidores e anunciantes. Foi o caso da agência DPZ que resolveu utilizar o Tinder (relacionamento), para promover uma marca de chocolate, brincando com o usuário, conforme imagem abaixo (pode servir de gancho para uma continuidade perante a Páscoa).

    tinderchocolatedpz

    E, baseando-se no direito de ir e vir de forma “easy”, eis que surge o Easy Emprego, onde o usuário arruma emprego próximo a sua casa. O site é novo, seu layout configura um Google maps e além de procurar vagas pela localidade, ele orienta o usuário sobre o trajeto e indica até linhas de ônibus.

    Por Alda Paula. Fui do editorial até o logístico e hoje atuo na área como mídia de uma agência no Rio de Janeiro. Com uma parceria no trabalho, criamos um blog chamado Suco de Goiaba, que como gostamos de dizer, apresenta dicas de inutilidades úteis e supérfluos que não podemos viver sem. http://www.blogsucodegoiaba.blogspot.com.br / https://www.facebook.com/pages/Suco-de-Goiaba/228905897163502

    Espalhe por ai:
  • Será que realmente os homens não reparam em suas mulheres?

    seráquerealmenteoshomensnaoreparamemsuasmulheres

    Existe um velho e nem sempre correto dito popular de que, com o tempo, os homens não reparam mais em suas namoradas, esposas ou companheiras. Mas, será que isso é realmente verdade?

    Pois bem, para comprovar ou não essa hipótese, três lojas (créditos para a iniciativa das proprietárias Lara Soares, Ticiana Alencar e Lia Moreira) das franquias das marcas Villa, Scala e Carmen Steffens realizaram um experimento bem bacana a fim de observar a reação de maridos após algumas mudanças/transformação no visual de suas esposas/companheiras, durante um jantar. O resultado é apresentado no vídeo “Toda mulher merece um elogio?” é simplesmente emocionante, vale muito a pena assistir.

    Espalhe por ai:
  • Apps dos Lepo Lepos

    *Por Alda Paula. A ocasião faz o ladrão e, mais do que nunca, o Carnaval tem seu quinhão pitoresco que só acontece na festa do Rei Momo. Época aberta a temporada onde tudo é permitido e por não termos a obrigação (soa quase como um palavrão, no Carnaval) de pensar é quando mais exercitamos nossa criatividade e chegamos ao seu apogeu! Também ficamos ávidos por descobrir novidades e nos damos ao luxo de invadir a barreira do ridículo e deixarmos nos levar pelo rá rá rá rá rá rá rá do Lepo Lepo. Mente sã e corpo são… Nem tanto!

    O que ganhou mais uma versão em 2014, foi o aplicativo da folia, um app para celulares com informações dos blocos de Carnaval. Através dele, os foliões tinham acesso as programações dos mesmos e compartilhando sua agenda no Facebook, sabiam que amigos estariam presentes. A novidade foi a possibilidade de montar um bloco virtual, adicionando as pessoas conhecidas durante a folia. Elas teriam que estar juntas com o aplicativo aberto, na área de bloco virtual e se conectam através de um som emitido.

    Além das tecnologias que são criadas para facilitar cada vez mais a interação, o Carnaval é um período propício para lançar tendências. Fantasias são os termostatos, digamos uns “lulus” da vida (app para avaliação) do que acontece aqui e no mundo, do que agradou ou do que merece seu toque de irreverência. Podemos falar das fantasias de Facebook e seus “likes” e outros jargões dos apps de relacionamentos. Desde que vimos o jogador Messi fazer o bebê parar de chorar através de uma chamada em vídeo do aplicativo WeChat, outros apareceram nessa leva. A possibilidade de localizar e conversar com pessoas próximas ao lugar onde se está virou um trunfo para azaração, como o Tinder. Alavancando um crescente n° de usuários, a marca soube valorizar a situação e o momento e lançou campanha de marketing com distribuição de brindes aos foliões cariocas. Esse insight foi um tiro certeiro para aproximar a marca de seus usuários ou para pretensão de novos.

    Espalhe por ai:
  • Faça do seu negócio uma arte: lições do vendedor de algodão doce

    É possível extrair várias lições para a vida empresarial e para nossas carreiras, a partir do exemplo de habilidade do vendedor de algodão doce, demonstrada no vídeo acima.

    1. Faça do seu negócio uma arte. Infelizmente, em algum momento da história da humanidade, o homem dissociou o trabalho das artes, e isso foi um dos grande erros cometidos por nós. Trabalhar é e pode ser um Estado de Arte, e, não deve ser encarado como uma obrigação e uma “praga”, ou algo chato. Mesmo os trabalhos mais burocráticos e repetitivos podem ser construídos com prazer e com foco na satisfação de todos os envolvidos.

    2. Entusiasmo. Estar entusiasmado é acreditar no que faz. A origem da palavra remonta a ideia de “ter um Deus dentro de si”. Acontece que algumas pessoas não acreditam no trabalho que estão executando ou, o fazem mecanicamente, sem conhecer as razões e correlações com as outras atividades.

    3. Conhecimento técnico. Assim como cada profissional envolvido, as empresas precisam ser suficientemente boas naquilo que se destinam a fazer. Não há mais espaço para medianos.

    4. Tenha diferenciais. Da mesma forma que não suportamos mais a mediocridade, não toleramos a mesmice. O mesmo enjoa e perde o valor muito rápido. Por isso, as empresas precisam ser reinventadas e proferir melhorias contínuas, com algumas doses de inovações, surpreendendo positivamente os clientes.

    5. Tenha controle sobre seu negócio. Estabelecer parâmetros para mensurar os resultados do seu negócio é ação fundamental para projetar novas ações e saber se os objetivos estão sendo alcançados.

    6. Esteja comprometido com a satisfação do cliente. Em se tratando de serviços, esteja sempre comprometido com a total satisfação do cliente, muito mais do que com o lucro, em um primeiro momento. O lucro deve ser decorrente desta satisfação e vir a médio  e longo prazo. Preocupar-se com o resultado para o cliente é uma das formas de se estabelecer uma boa cadeia de valor em serviços.

    7. Inove. Faça algo novo, ou melhor do que qualquer um já tenha feito. A inovação pode vir a partir dos processos envolvidos no serviço ou no próprio serviço em si (modelo de negócio).

    8. Faça-se presente. Esteja sempre visível para seu público-alvo. Mantenha-se onipresente ou, pelo menos, esteja onde seu target está e com isso aumentará suas chances de faturamento.

    Espalhe por ai: