• Vitória da Bahia lança campanha “Meu sangue é rubro negro” para incentivar doação de sangue

    Vitória da Bahia lança campanha "Meu sangue é rubro negro". Imagem: Divulgação

    Criada pela Leo Burnett Tailor Made, a campanha “Meu sangue é rubro negro” é uma bela demonstração de marketing social, dentro do segmento esportivo. Sabedor da penetração junto a massa de cidadãos, o Esporte Clube Vitória retirou a cor vermelha de seu manto para incentivar os torcedores e simpatizantes a doarem sangue e assim, participarem de importante ação social solidária.

    Vitória da Bahia lança campanha "Meu sangue é rubro negro" . Imagem: PropMark

    A cor vermelha na camisa do Leão da Barra será incluída aos poucos (provavelmente uma listra na cor vermelha, por jogo), a medida que as doações de sangue ao Hemocentro (Hemoba – Bahia) forem intensificadas. Com divulgação na tv, internet, mídia impressa e exterior, a campanha tem forte associação com a paixão pelo futebol e com o sangue que corre nas veias, símbolo de raça e agora, de vida. A Penalty – fornecedora de material esportivo – é a parceira do Vitória, nesta campanha. Acesse a página no Facebook.

    Ficha Técnica
    Direção de criação: Marcelo Reis, Guilherme Jahara e Rodrigo Jatene
    Criação: Rodolfo Fernandes, Erick Mendonça, Alexandre Pagano, João Caetano Brasil, Guilherme Jahara e Rodrigo Jatene
    RTV: Celso Groba, Maria Fernanda Moura, Camila Aquino e Rafael Messias
    Atendimento: Pablo Arteaga, Junior Bottura e Anelene Putini
    Finalização: Burti
    Aprovação pelo cliente: Adilson Baptista Jr., Leandro Hamiro dos Santos e Carlos Sergio Falcão

    Espalhe por ai:
  • A arte de extrair boas respostas do entrevistado

    Uma das características de bons comunicadores é a capacidade de extrair o melhor dos seus interlocutores e do assunto em pauta. No meio jornalístico, destaca-se o profissional que consegue lidar com as notícias de maneira ética e com qualidade. O jornalismo é uma área da comunicação social que, dentre outras atribuições, torna público fatos (notícias) e, devido ao contexto poderoso (Teoria da Abordagem Empírica) que as informações e meios de comunicação possuem sobre os indivíduos, deve ser praticado por indivíduos preparados e competentes para tal atividade.

    Baseado nos quatro conceitos que formam uma das bases jornalísticas –  novidade, proximidade, tamanho e relevância – os jornalistas devem reconhecer os fatos que farão parte da produção jornalística e preparar cuidadosamente a abordagem de acordo com o tipo de fato e respeitando a imprevisibilidade dos acontecimentos.

    O vídeo abaixo mostra um crasso erro de abordagem, provavelmente causado devido a ansiedade que acometeu o jovem repórter para cumprir sua missão baseada nos conceitos descritos acima. Inconscientemente, o entrevistador conseguiu uma ótima resposta, mais em função do comportamento de cidadania do entrevistado do que pela capacidade jornalística do profissional.

    Espalhe por ai:
  • Sexo na terceira idade

    Com o avanço da tecnologia farmacêutica e a descoberta de drogas que aumentam a capacidade sexual, a vida sexual dos indivíduos na terceira idade se tornou bem mais ativa e prazerosa. Entretanto, tais benefícios não vieram sozinhos, pois, ao mesmo tempo, a incidência de aumento de DST – doenças sexualmente transmissíveis em pessoas da “melhor idade” é uma triste realidade. Nos EUA, o aumento foi de 70% nos últimos cinco anos, número que provocou preocupação por parte do Governo local. No Brasil, os casos de Aids dobraram em um período de 10 anos, por exemplo, segundo o Ministério da Saúde.

    Bem, ainda sobre os dados no país norte-americano e, afim de incentivar o uso de preservativo, uma campanha de comunicação está sendo veiculada em várias mídias com objetivo de impactar os adultos seniors e outros formadores de opinião. O vídeo “Safe Sex Seniors” já está dando o que falar por mostrar os “vovôs e vovós” em algumas posições sexuais. Confira!

    Espalhe por ai:
  • Chocante propaganda do Governo Americano contra o tabaco – Tips from Former Smokers

    Veiculado em mídias de massa, as novas propagandas do Governo Americano contra os males causados pelo vício do cigarro prometem novo capítulo na guerra contra os fabricantes e como conscientização para que a população (os jovens, principalmente) não utilize o produto e provoque uma demanda indesejada. Chocante, os vídeos mostram as deformidades e patologias causadas pelo uso do tabaco, tais como as acometidas na jovem senhora Terrie e como elas se viram para mais um dia em suas vidas. A estrutura apresentada cria o impacto a partir das imagens e depoimentos, profundamente concisos e sérios.

    Espalhe por ai:
  • UnHate – Você tem ódio do quê?

    Todos devem ter visto a recente campanha (UnHate) da marca Benetton que explora a cultura da paz contra o ódio entre os seres humanos, principalmente a partir das diferenças diversas ( culturais, religiosas, orientação sexual e etc). Marcada pelas comunicações polêmicas e por grandes repercussões, a Benetton dividiu opiniões nas décadas de 80 e 90 com propagandas repletas de questões sociais e tabus como sexo, aids, política, guerra, morte, religião e igualdade. As criações, á época, vingaram pelas mãos talentosas do fotógrafo italiano Oliviero Toscani – autor da célebre frase “A publicidade é um cadáver que nos sorri” e que virou título de livro. Toscani e a própria empresa acreditavam que a publicidade e propaganda deveriam ser utilizadas para propagar algo a mais do que simplesmente o resultado do capital e, claro, tudo com muito impacto. Pena que a sociedade não enxerga em si mesmo a realidade. Na maioria das vezes, o que as pessoas querem ver é o sonho, e não o real. Assim é o mundo da publicidade, dos filmes, das novelas e etc.

    Mas, a propósito, você tem ódio do quê?

    Banner defronte a Catedral de Milão, IT.

    UnHate Film, bem ao estilo publicitário da Benetton. “The film UNHATE by French director Laurent Chanez, tells of the precarious balance and complex interweaving between the drive to hate and the reasons to love”.

    Espalhe por ai: