• UnHate – Você tem ódio do quê?

    Todos devem ter visto a recente campanha (UnHate) da marca Benetton que explora a cultura da paz contra o ódio entre os seres humanos, principalmente a partir das diferenças diversas ( culturais, religiosas, orientação sexual e etc). Marcada pelas comunicações polêmicas e por grandes repercussões, a Benetton dividiu opiniões nas décadas de 80 e 90 com propagandas repletas de questões sociais e tabus como sexo, aids, política, guerra, morte, religião e igualdade. As criações, á época, vingaram pelas mãos talentosas do fotógrafo italiano Oliviero Toscani – autor da célebre frase “A publicidade é um cadáver que nos sorri” e que virou título de livro. Toscani e a própria empresa acreditavam que a publicidade e propaganda deveriam ser utilizadas para propagar algo a mais do que simplesmente o resultado do capital e, claro, tudo com muito impacto. Pena que a sociedade não enxerga em si mesmo a realidade. Na maioria das vezes, o que as pessoas querem ver é o sonho, e não o real. Assim é o mundo da publicidade, dos filmes, das novelas e etc.

    Mas, a propósito, você tem ódio do quê?

    Banner defronte a Catedral de Milão, IT.

    UnHate Film, bem ao estilo publicitário da Benetton. “The film UNHATE by French director Laurent Chanez, tells of the precarious balance and complex interweaving between the drive to hate and the reasons to love”.

    Espalhe por ai:
  • Propagandas que marcaram época #6 – Cremogema

    Excelente comercial que consagrou o slogan “Cremo, Cremo, Cremogema. É a coisa mais gostosa desse mundo” a partir do jingle de fácil fixação mental. O produto – um pó para preparo de mingau, da Unilever – foi muito utilizado na alimentação infantil nas décadas de 70 e 80. Repare que o filme é finalizado com a dupla de arquétipos “família feliz” e “figura da vovó” que transmite segurança e cuidados (amor).

    Espalhe por ai:
  • Campanha da Prefeitura de Nova York para desestimular consumo de refrigerante

    Excelente propaganda como parte da campanha da Prefeitura da cidade de Nova York para desestimular a população a consumir refrigerantes. Atualmente, a cidade americana enfrenta índices alarmantes de problemas clínicos devido ao aumento da dieta com excesso de calorias. Tal situação está sendo tratada como calamidade pública pelos governantes e órgãos de saúde.

    A campanha, composta por peças gráficas e aúdiovisuais, promove impacto através da informação racional acerca dos males que o consumo excessivo de alimentos calóricos, incluindo os refrigerantes, causam no organismo. A propaganda abaixo possui fácil entendimento e um mecanismo comunicacional direto e que proporciona atenção e retenção seletiva rápida através da mensagem reforçada pelo visual.

    “Cada 600 ml de refrigerante possui 10 pacotes de açúcar em sua composição”, é o mote principal da propaganda. Confira!

    Espalhe por ai:
  • É a imprensa que atrapalha…

    Vale a pena ver e ouvir o desabafo da jornalista Neila Medeiros, âncora do SBT Brasília (telejornal veiculado pela afiliada do SBT no Distrito Federal), sobre a incompetência dos Governos na recorrente temática das tragédias em enchentes que assolam vários municípios brasileiros.

    Excelente exercício ao vivo sobre a prática da comunicação social em sua vertente mais objetiva. Parabéns!

    Espalhe por ai:
  • O bombom que dá um friozinho na barriga


    O título do post é o slogan que acompanha a assinatura da sensacional propaganda produzida para o produto Serenata de Amor. Com a locução em velocidade acelerada, o vídeo possui excelente texto que destila a emoção sem permitir espaços para análise racional, auxiliado pela comunhão de imagens. É uma verdadeira aula de captação de atenção seletiva. Viaje!

    Espalhe por ai: