• Acredite

    Em que você acredita?
    Se você é estudante de comunicação social, marketing e design, elabore um texto ou imagem sobre a pergunta acima e participe do projeto “Acredite”. Os cem trabalhos mais criativos serão publicados num livro patrocinado pelo Universal Channel.

    Saiba mais no site do projeto.

    Acredite 2011 – UNIVERSAL from Kindle On line on Vimeo.


    Espalhe por ai:
  • Qualidade em vida ou morte?

    Tudo bem que vários argumentos de que a ampliação oferecerá maior comodidade e minimização de problemas como “enterros em outras cidades”, “deslocamento de cadáver”, “remoção de corpos” e etc poderiam ser válidos e debatidos. Mas, convenhamos, a placa acima ficou um pouco estranha, não ficou? No mínimo, abre brechas para comentários, por conta da sua má formulação.


    Espalhe por ai:
  • Aids. Campanha de Prevenção e Cidadania

    Na propagação de ideias ou ideais, ou seja, na propaganda (propagare; pangere = nutrir, incutir) cada elemento deve compor em uma forma representativa, a capacidade disseminadora de conteúdo.  Neste sentido, a comunicação se utiliza de linguagem sedutora para envolver o receptor no mote brifado.

    Alguns assuntos possuem tabus inseridos com tanta força na sociedade, que há uma privação, por conta de “moral”, dos símbolos que podem ou não ser utilizados em uma veiculação. Um assunto que envolve alguns destes tabus é a Aids. Desde as famosas e polêmicas criações de Oliviero Toscani, para a Benetton, as campanhas são avaliadas pelo crivo censurador da sociedade e de algumas instituições.  A Aids, por si só, envolve temas que circulam pela discriminação, drogas, religião, comportamento, sexo, vida e morte, ou seja, conteúdos que, pela importância deveriam ser discutidos com mais veemência e responsabilidade, auxiliados quando necessário pelas ciências sociais.

    Recentemente, a agência Pernambucana RGA Comunicação produziu duas peças para a Campanha de Prevenção e Cidadania que merecem análise por tudo que mencionei acima. Com o título “Aids mata. Seja salvo”, uma inclinação para o “Proteja-se!”, as criações evocam a necessidade de proteção independente de outras coisas, inclusive amor.

    Créditos
    Advertising Agency: RGA Comunicação, Recife, Pernambuco, Brazil
    Creative Directors: Alexandre Pons, Daniel Zago
    Art Director: Alexandre Pons
    Copywriter: Sergio Aires
    Illustrator: NutsLocomotyva
    Photographer: NutsLocomotyva
    Additional credits: Tico Moraes
    Published: March 2011


    Espalhe por ai:
  • Morreu, virou notícia!

    As cidades pequenas do interior possuem peculiaridades muito interessantes. Algumas características são bem conhecidas, tais como o fato dos moradores conhecerem uns aos outros, passeio e paquera na praça central e as famosas quermesses. Porém, algumas cidades pequenas ainda mantém funcionando um sistema de comunicação antigo e pitoresco. Em uma torre, um megafone irradia informações úteis para a comunidade, dentre elas, aviso de falecimento e convite para o velório: “a  familia de ‘fulano de tal’ convida toda a população para o velório a se realizar as 17h na rua ‘tal’. Esperamos vocês”. Fantástico, não?!? Na cidade clicada na foto, o sistema de comunicação é conhecido como “caganeira”.

    Foto: @benobond


    Espalhe por ai:
  • Digaí “negão”

    Fonte: Reprodução/Jornal Correio 24 horas (Bahia)

    Motivados pela visita do presidente americano Barak Obama, a ONG Instituto Maria Preta (com produção da agência Maria) veiculou cinco outdoors na cidade de Salvador (BA) em referência a vinda do chefe de Estado. Inspirados em um documentário homônimo (“Digaí negão / Digaí negona”) alusivo a personalidades afrodescendentes, o outdoor despertou a atenção pela mensagem direta e título que deriva do linguajar e conhecimento empírico além da possibilidade de entendimento pela metacomunicação (informação sobre a informação).


    Espalhe por ai: