• Black Friday


    Dia 26 foi o dia inicial das grandes promoções de final de ano no mercado americano. A tradicional “queima” de preços acontece sempre após o dia de ação de graças e possui o apelo “shop until you drop” (comprar até não dar mais). O impulso para o consumo é tão forte que até mesmo  o termo “blackfriday” tem significado atrelado ao fato das lojas migrarem do prejuízo ao lucro em apenas um dia. Segundo a ANR – Associação Americana de Distribuição, são estimados mais de 136 milhões de consumidores às compras, em um único dia. Impressionante! Conforme notícia publicada no Yahoo, somente a  unidade da loja Macy`s de NY contabilizou 7 mil pessoas aguardando a abertura da mesma, de madrugada. Veja os links para as lojas que participaram da promoção americana.

    No Brasil também houve uma versão do “black friday”exclusivamente na internet através do site de compras coletivas Busca Descontos. Várias empresas participaram, dentre elas Walmart, Americanas, Compra Fácil, Shoptime, entre outras.Entretanto, a versão brasileira(organizada pela primeira vez) não possuiu o mesmo fôlego nos descontos, comparando com o Black Friday original.

    Espalhe por ai:
  • Dia do Consumidor

    O dia 15 de março (neste dia e mês, no ano de 1962, o então presidente americano John Kennedy pronunciou um discurso onde defendeu os Direitos dos Consumidores) é reservado mundialmente para a lembrança das conquistas dos direitos dos consumidores, através das relações comerciais ocasionadas de trocas financonsumidor1ceiras por produtos e/ou serviços que satisfaçam necessidades das pessoas. Em nosso país “a defesa do consumidor” está assegurada no inciso XXXII, art. 5º, da Constituição Federal de 1988.

    Cabe a todos, na luta por uma sociedade justa, cobrar e reinvidicar seus direitos assegurados. Também é importante que todos os profissionais e empresários envolvidos na relação com o consumo conheçam e apliquem os detalhamentos contidos no Código de Proteção e Defesa do Consumidor, editado no Brasil em 1990 – Lei nrº 8.078, de 11 de setembro de 1990. Clique no link a seguir e conheça o Código na íntegra:

    > CÓDIGO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR

    Importante ressaltar que várias entidades atuam na Defesa dos Direitos dos Consumidores no Estado de São Paulo, dentre elas: Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor – PROCON; Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor – IDEC; Associação Brasileira da Defesa da Ecologia, da Cidadania e do Consumidor – ABRADEC; Associação de Defesa dos Interesses e Direitos do Consumidor e do Cidadão – ADIC e Instituto Brasileiro de Política e Direito do Consumidor – BRASILCON.

    Alguns links úteis:

    www.portaldoconsumidor.gov.br
    http://www2.senado.gov.br/bdsf/item/id/70329
    http://www.procon.sp.gov.br/ –  Disk Procon: 151

    Espalhe por ai:
  • O consumo e o consumismo

    Não dá para negar que os produtos e as marcas exercem influência constante em nossas vidas. Impossível  conceber um dia a dia sem os diversos produtos destinados a saciar as várias necessidades e desejos. Existem exageros, evidente, mas não se pode generalizar e recair em um fundamentalismo anti-produtos, ou seja, é necessário separar o desperdício e consumismo do consumo cotidiano sustentado pelo desejo humano. De acordo com Giglio (1995) “O modelo de influência social coloca que as pessoas seguem regras, incluindo sobre o que o consumir, para fazer parte de um grupo”. Para alguns autores, como Baudrillard (1995), Fromm (1997) e Canclini (1995), o consumismo é a posse de produtos e serviços  que representam identidade e posição social. Em resumo, o consumismo excede o bom senso no uso de recursos financeiros, causando acúmulo desnecessário de produtos e prejuízos ambientais, porém devemos considerar o consumismo no processo do comportamento social e o consumo como elemento essencial ao desenvolvimento econômico e comportamental.
    Fonte:http://blog.lib.umn.edu

    Fonte:http://blog.lib.umn.edu

    Espalhe por ai:
  • iPad Apple

    A marca da maçã lançou seu tablet neste dia 27 de janeiro. O iPad é um mix de laptop com iPhone + iPod. Esperado por muita gente, com certeza o produto levará muitos compradores ao delírio nestas próximas semanas. O  brinquedinho no mercado americano  tem preço de 499 dólares na versão de 16 GB, 599 dólares o de 32 GB e 699 dólares a versão mais “parruda”, de 64 GB.  Na minha opinião o produto é um iPhone + iPod em versão laptop  ultra slim com touch. Eu particularmente não gostei da nomenclatura  de marca — iPad — e sugeriria iTable. Mas, como não trabalho na Apple, os profissionais de lá definiram a marca iPad mesmo, rsrs.

    Veja mais detalhamentos da configuração aqui e aqui.

    Espalhe por ai:
  • Hábitos de consumo

    A dinâmica do marketing compreende as grandes áreas de “inteligência” e estratégia de “marketing”. A “inteligência” de marketing é o estudo completo do mercado e de todas as interferências e influências direcarrinhoavetas e indiretas (situacionais) que formam o “ambiente de marketing”. Compreende a análise dos três “C’s – Cliente, Corporação e Concorrência. Outro alvo de investigação, que forma a base da inteligência de marketing são os comportamentos e hábitos de consumo, a partir das necessidades e desejos humanos, além da relação do homem na sociedade em que vive.

    Recentemente, o Instituto Ibope realizou a pesquisa “Ibope Mídia Brasil” e algumas constatações úteis foram formalizadas:

    – o prazer associado ao consumo está presente para 49% das mulheres e 36% dos homens;
    – a troca de marca – não fidelização – é uma característica comum para 53% das mulheres;
    – o quesito conveniência (praticidade, facilidades para o dia a dia) é determinante para a compra de um produto, para 80% das mulheres;
    – o preço constituí uma variável importante, na decisão de compra;  (Fonte: Ibope Mídia Brasil).

    Leia também

    :: Produto – Teste de Mercado
    :: O comportamento do consumidor e a teoria da diversão
    :: Ambiente de Marketing
    :: Qual a importância do profissional de marketing?
    :: Marcas que marcam

    Espalhe por ai: