• Máquinas de POS viram ferramenta para promoções instantâneas

    Tecnologia desenvolvida por empresa brasileira já conquistou grandes marcas, como Mastercard e Pirelli.

    Passar o cartão de débito ou crédito e saber na hora se ganhou um prêmio. A mais nova tecnologia promocional que já está sendo usada nos pontos de venda foi criada pela brasileira Bamberg Comunicação, especializada em marketing promocional, para beneficiar marcas por meio de terminais eletrônicos de cartões, chamado de POS (Point Of Sale).

    No momento da compra, já é possível que as empresas viabilizem a promoção de produtos e serviços por meio, por exemplo, de premiações instantâneas, de forma simples, segura, objetiva e a um custo mais baixo do convencional. “As ações promocionais precisam evoluir. O consumidor já está cansado de ser arrastado para filas, urnas, hotsites ou mesmo guardar embalagens com códigos promocionais por séculos até o dia em que seguramente não saberá se foi contemplado. Temos que trazer as marcas à vida, fazer com que elas se relacionem com o seu público da forma mais natural e prazerosa possível.”, afirma o sócio-diretor da agência, Gui Bamberg.

    Com o uso da nova tecnologia, é possível até mesmo estender a experiência aos próprios estabelecimentos, com prêmios para os colaboradores que incentivarem o uso das máquinas POS, como ocorreu em recente ação conjunta da Ourocard e Cielo, coordenada pela agência, em que cada venda gerou um número da sorte para o sorteio de prêmios de até R$ 100 mil para os lojistas. “A estratégia da ação foi pensada especialmente para gerar volume e crescimento do ticket médio, além de incentivar o lojista à preferência pelo POS da Cielo.”, revela Bamberg.

    Com a proposta de criar ou transformar tecnologias existentes em soluções promocionais, a Bamberg já realizou grandes projetos para marcas importantes, como Ourocard, Brasilcap, Pirelli, LG, Claro, Castrol, Peugeot, GM, Visa, Mastecard, Diners e Cielo. E compõe as estatísticas de ampliação do marketing promocional nos últimos anos. O setor cresce no Brasil a taxas mais altas que a própria economia, com movimentação que, segundo dados projetados pela AMPRO – Associação de Marketing Promocional, deve chegar aos R$ 38 bilhões para o fechamento de 2011.

    Diferenciais da nova tecnologia aplicada em promoções:

    • Redução drástica de custos operacionais, registrando com eficiência o sell-out e medindo o retorno efetivo da ação, do investimento da marca.
    • Maior controle de vendas. É possível identificar onde está o pessoal de vendas e quanto tempo ele levou em cada local.
    • Agilidade no plano operacional, gestão, operação, emissão de relatórios e o fechamento da campanha.
    • Tecnologia aplicada ao marketing. Criação de plataforma que conversa com mobile, com meios de pagamento e outros. No ponto de vista promocional, a utilização é inédita no Brasil.
    • Tecnologia variável, vai desde o uso de RFID a mobile, que são mais simples, a tecnologias de meio de pagamento. É muito versátil, com o propósito de entender a necessidade e objetivos das empresas.
    • É segura, confiável e com baixo custo para as marcas. E reduz o nível de perda de controle de self a zero.
    • Sustentabilidade:  muitos balcões, urnas, ficam anos armazenados ou são descartados. A tecnologia de premiação instantânea usa um sistema que já existe (por exemplo, o POS), que já está consumindo energia; raramente usa papel.
    • Maior integração entre a marca e o consumidor, valorizando o comportamento natural no momento da compra.

    Informações / Release: cbscom

    Espalhe por ai:
  • Eu vejo eles dançando, em cima do muro…

    …no meio do mundo. No meio do mundo dividido. Capital Inicial.

    Uma das coisas que eu achei fantástico após ler a biografia de Steve Jobs foi descobrir a maneira com que ele concebia os produtos. Primeiro o design, depois a engenharia. A engenharia precisava se adequar ao design, à concepção do produto e à ideia que ele queria passar. E não o contrário.

    Assim, Jobs podia exercitar aquilo que em minha opinião mais o ajudava no trabalho da inovação de produtos: a imaginação. E eu não sei se esse assunto, a imaginação já foi tema de algum livro de negócios, marketing, inovação ou empreendedorismo. Mas, sei que é justamente ela, a imaginação o ingrediente essencial para criar a personalidade de uma marca.

    E nesse primeiro artigo pro avemarketing de 2012 eu quero fazer uma pequena reflexão sobre imaginação, marketing, inovação e empreendedorismo. Os livros podem ensinar como programar uma campanha de marketing que arrebenta. Ensinam como despertar o comportamento empreendedor, como estruturar e planejar um plano de marketing e toda a estratégia de marketing.

    Mas, eles não conseguem ainda ensinar, passo-a-passo sobre como transformar a personalidade de uma empresa, de como imaginar empresas, produtos e tecnologias que vão romper com tudo.

    Na verdade, se você acha que a sua empresa não tem personalidade, na verdade ela já possui uma personalidade errada. Da mesma maneira, se na cabeça dos líderes falta imaginação, as coisas tendem a caminhar pro buraco. A imaginação talvez seja o mais salvador e aniquilador nisso tudo. A falta dela, assim como o excesso, leva qualquer empresa, qualquer produto, qualquer estratégia, para o buraco. Portanto, equilibrar imaginação com pé no chão é o desafio maior disso tudo. Mas, os livros vivem incentivando o pé no chão, porque a cabeça nas nuvens faz mal. O problema é que, a cabeça nas nuvens pode fazer mal, mas a cabeça fora dela é desastroso. Talvez por isso, por esse grande incentivo que temos de manter o pé no chão, é que ultimamente somos bombardeados com tantos produtos e empresas sem graça nenhuma, sem nenhuma pitada de imaginação.

    A dose certa de imaginação rompe barreiras. Para alcançar o estado da arte, para chegar à perfeição é preciso imaginar e conceber o que é perfeito. A atitude de Steve Jobs de conceber primeiro o design de seus produtos mostra o quanto isso é importante. Steve fazia primeiro o desenho do produto. Fazia primeiro aquilo com que o consumidor vai ter contato. O consumidor não tem contato com a engenharia do produto, com aquilo que o faz funcionar. Dificilmente alguém quer um iPod, iPad ou iPhone porque ele tem uma engenharia sensacional. As pessoas querem porque o design é legal, é bonito, cool.

    Esse será um bom começo. Ao levar a sério a cultura da imaginação, você estará implementando a cultura da inovação.

    (mais…)

    Espalhe por ai:
  • Sebrae inicia atendimento na favela da Rocinha

    Olha que legal, com a pacificação da favela da Rocinha, o Sebrae do Rio de Janeiro iniciou atendimentos com incentivo ao empreendedorismo na comunidade. Os plantões iniciaram no dia 22 e também serão realizados amanhã (24/11) com o objetivo de formar empreendedores individuais (EI) e esclarecer dúvidas sobre custos, gestão e linhas de crédito.

    “O Empreendedor Individual é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. Para ser um empreendedor individual, é necessário faturar no máximo até R$ 36.000,00 por ano, não ter participação em outra empresa como sócio ou titular e ter um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria”. Fonte: Portal do Empreendedor – Governo Federal.

    O plantão do Sebrae/RJ será realizado de 9h às 18h. O atendimento será feito em dois lugares: das 9h às 13h, na sede da 27ª Região Administrativa, na parte mais alta da Rocinha; das 14h às 18h, a equipe do Sebrae/RJ estará no Centro Esportivo da Rocinha, ao lado da quadra da Escola de Samba. Informações: RJ (21) 2212-7971
    Fonte: Agência Sebrae de Notícias.

    Espalhe por ai:
  • Nós somos nossa grande e única viagem

    Amyr Klink tem bagagem e autoridade para nos aconselhar sobre as mudanças e enfrentamento das intempéries da vida. Ao vencer nossos medos, criamos as bases para uma vida mais próspera, de modo a alcançar os objetivos e felicidade relacionada aos momentos únicos.

    “Pior que não terminar uma viagem é nunca partir”.

    Assim, da mesma forma, a consciência empreendedora é aquela que planeja e prevê os fatos para que suas soluções sejam sempre acertadas, e mesmo quando sozinhos, nossa autenticidade deve iluminar o caminho percorrido, afinal, a grande viagem somos nós mesmos.



    Vídeo via

    Espalhe por ai:
  • “Coletivo – Faça Acontecer” – Parceria Rede Asta e Coca-Cola gera renda a partir de produção de artesanato

    bolsa com tramas de garrafas pet

    Fruto da parceria entre a Rede Asta (organização sem fins lucrativos e com objetivo de disseminar a geração de renda em comunidade a partir de grupos produtivos locais, no Rio de Janeiro)e a Coca-Cola, o projeto ” Coletivo – Faça Acontecer” produz artesanalmente e comercializa de porta em porta produtos oriundos da reciclagem e reaproveitamento de embalagens, em uma proposta totalmente sustentável. As matérias-primas são garrafas pet e embalagens tetrapak (descartadas após uso e higienizadas corretamente para a manipulação no processo produtivo artesanal sendo os produtos finais criados por 5 grupos de artesãs e orientadas pelo designer Carlos Alcantarino.

    garrafinha iluminada

    moedeira

    :: Veja a lista completa de produtos AQUI.

    Espalhe por ai: