• Empresas brasileiras melhoram índice de sobrevivência

    Boa notícia para o empreendedorismo brasileiro. A taxa de sobrevivência das empresas após o segundo ano de existência subiu de 71,9%, apurados em 2005, para 73,1% em 2006.

    Fonte: Fatores Condicionantes e Taxas de Sobrevivência e Mortalidade das MPEs no Brasil - Sebrae

    Os dados, conforme divulgados pelo Sebrae, mostram o momento positivo que as pequenas e micro empresas passam no ponto de vista de melhoria de processos e de planejamento do negócio. Um dos fatores apontados é o aumento da qualificação dos empresários.

    Os empresários que têm curso superior completo ou incompleto já são 79% do total, e aqueles com experiência anterior em empresa privada subiram de 34% para 51%.

    Outro item bem interessante é o aumento das mulheres na gestão empresarial, afinal, 33% das empresas ativas são administradas por elas. Evidentemente que muitos e importantes problemas ainda necessitam de correções, mas o índice coloca o Brasil em proximidade com dados de países como Canadá e superior aos números da Itália e Espanha, por exemplo.

    Leia mais aqui.

    Espalhe por ai:
  • A gestão pública

    O ato de gerir o patrimônio público deve envolver todo o planejamento, implementação e controle direcionado para a melhor utilização dos recursos disponíveis, afim de melhorar a produtividade estatal e proporcionar o bem estar da coletividade. Aos profissionais, envolvidos com tal atividade, espera-se conhecimentos concretos sobre administração financeira, direito administrativo, sistemas políticos, macro e micro economia e habilidades administrativas e estratégicas em geral. Além disso, estima-se que o atuante tenha bom relacionamento interpessoal, visão conceitual (capacidade de análise em 360 graus), capacidade de definir prioridades, formação compatível com a atividade técnica específica e princípios éticos.

    Atualmente assistimos a grande quantidade de denúncias provenientes de supostos esquemas para desvios de dinheiro público em benefício pessoal/partidário. Assim como na iniciativa privada, os mecanismos de controle que previnem e inibem processos fraudulentos, devem ser intensificados e implementados e por suposto monitorados pela sociedade.  Entretanto, possuímos como cultura política a nomeação de alguns gestores alinhavados apenas com interesses partidários e assim, o planejamento organizacional fica refém do ‘entreguismo’ proveniente das ajudas entre as siglas, nas esferas Municipais, Estaduais e Federal. Este viés inviabiliza a ação de uma gestão pública mediada por profissionais isentos das agruras instaladas nos meandros dos conchavos da pseudo-politização de nossos poderes públicos e possibilita uma fácil destinação incorreta dos recursos financeiros.

    Espalhe por ai:
  • Primeira rede social para gestão de projetos no Brasil

    O Artia faz campanha digital para conhecer melhor seus usuários. A primeira rede social para gestão de projetos no Brasil lança campanha em duas fases, coleta de perguntas e vídeo conferência com seus usuários nas redes sociais.

    O Artia é um software web que foi desenvolvido com o objetivo de contribuir na gestão do tempo melhorando a produtividade na vida profissional e pessoal das pessoas. Hoje, pequenas e médias organizações já estão utilizando essa rede social na gestão de projetos.  O Artia está em fase de testes com lançamento programado para novembro/2011.

    A campanha digital desenvolvida terá grande diferencial, pois buscará a proximidade com o público alvo, usuários e curiosos. Entre os dias 15/07 e 20/07 será realizado os “7 dias de Pergunte ao Artia” quando os consultores da ferramenta ficarão à disposição para esclarecer as dúvidas recebidas pelos canais de comunicação da empresa: e-mail e principalmente nas redes sociais. Todas as perguntas e repostas serão registradas no canal do Artia (Formspring) e serão armazenadas num perfil Público. No dia 21/07 as principais dúvidas serão respondidas também em uma vídeo conferência no Livestream. Para assistir basta acessar o canal do Artia e fazer suas perguntas ou comentários. Qualquer pessoa poderá fazê-lo nos seguintes canais: chat do canal, Twitter, Facebook, Orkut, Formspring ou pelo e-mail falecom@artia.com.

    O Artia quer conversar com todos que desejam saber mais sobre o software, seja usuário ou não, por isso aproveite essa oportunidade e faça sua pergunta.

    A campanha foi assinada pela agência TAG Interativa de Joinville.

    Informações adicionais:

    O Artia é uma ferramenta desenvolvida pela Euax Gestão de Projetos. A Euax é uma empresa dedicada a projetos. Sua missão é prover melhores resultados na gestão de projetos de nossos clientes e parceiros, através de soluções personalizadas, aplicando as melhores práticas mundiais. Missão que exige capacitação permanente, obsessão pelo detalhe, disciplina, método, experiência.  Através da experiência em diferentes cenários corporativos, know-how em Projetos e com uma ideia inovadora, que a Euax está desenvolvendo uma rede social para gestão de projetos, mas isso só foi possível através da subvenção financeira da FINEP.


    Espalhe por ai:
  • A centralização das decisões administrativas

    A centralização ou não das decisões é uma característica da estrutura organizacional e de comando decisório das empresas. Quanto mais as decisões estão focadas somente no topo da pirâmide hierárquica, mais as empresas são centralizadas e, quão mais estão dispersas nos níveis hierárquicos, mais a empresa possui  característica da descentralização. Normalmente as empresas tendem a adotar a centralização como maximizar os mecanismos de controle. Algumas associam a manutenção do controle á redução de custos e outras também mantém este processo administrativo devido a insegurança em delegar autonomia aos colaboradores. Evidente que há funções que, por conta das responsabilidades e riscos envolvidos, requer maior cuidado nas tomadas de decisões e assim, consequentemente, maior centralização.

    O ato de descentralizar pode ser feito de maneira gradual e até compatível com recursos empregados por áreas/funções. Em empresas de porte médio e grande, as decisões gerenciais são atribuídas aos gerentes de departamento, o que subentende a descentralização por parte do níveis hierárquicos mais altos para níveis médios e assim sequencialmente conforme a cadeia de comando da organização.

    Uma grande desvantagem da administração centralizada é a falta de agilidade em processos decisórios, que acarreta procedimentos morosos e diminuição da competitividade em operações de negócios que são pautados pelo tempo e pela oportunidade momentânea. Desta forma, ao planejar um negócio, é importante (assim como diversos outros fatores) viabilizar um conjunto de procedimentos e relações de autoridade e decisão que priviligie o melhor desempenho por departamento, sem perder os mecanismos mínimos de garantia e controle e que traga eficácia aos sistemas.




    Espalhe por ai:
  • Cartilhas de classificação hoteleira

    Olha que boa dica que recebi da @gabrielaotto. O Ministério do Turismo publicou as novas cartilhas com o novo Sistema Brasileiro de  Classificação dos Meios de Hospedagem. As publicações são bem completas e de fácil entendimento e, entre outras coisas, orientam sobre os requisitos para a classificação de 1 a 5 estrelas dos hoteis, além de resorts, hoteis históricos, pousadas e outros. Informação obrigatória para profissionais de hotelaria e marketing. Vale a pena conhecer e conferir.

    Baixe as cartilhas aqui.

    Meios de hospedagem. Fonte: Sistema Brasileiro de Classif. Hoteleira/Ministério do Turismo

    Links úteis:
    www.turismo.gov.br
    www.cadastur.turismo.gov.br
    classificação@turismo.gov.br

    Espalhe por ai: