• A comunicação social que não está nas sociais mídias


    Quem já passou dos 30 anos provavelmente tenha mais facilidade para se lembrar do nome “Pixote”.  Retratado no filme ‘Pixote – A lei do mais fraco’ (1981), a vida do menino símbolo da violência e delinquência juvenil da década de 80 chocou parte da sociedade pela quantidade de cenas consideradas fortes e superlativas, para a época. Em um período de início da explosão populacional do país em direção aos 120 milhões de habitantes e embates entre jovens e polícia perante a ditadura militar ora instalada e os problemas sociais em crescimento, tais como a delinquência juvenil, o filme de (BABENCO, Hector,1981) apresentou à sociedade uma vertente bem diferente do que costumava ser transmitida nas redes de TV. É fato que a violência é usada as vezes como acumulus notícia pela imprensa e mídias em geral, ou seja, a um fato, aumenta-se outro fato, porém é mister que,  trata-se de problema social, econômico, saúde e de valores morais. Fazendo um paralelo com o mundo de “Pixote” e o mundo atual, vivemos em um momento de indefinição de nossos valores morais, com jovens incautos sendo pais e mães de famílias, que serão alimentadas por valores distorcidos pelos interesses escusos.

    Outro porém é o fato de, depois de Pixote, outros “Pixotes” vieram e ainda outros virão, sem a sociedade ter conseguido consertar nossa delinquência juvenil. Infelizmente somos perdedores nesse quesito e mero espectadores inseridos em uma vida individualista, onde a comunicação social existe, mas a reação social é insuficiente.

    Espalhe por ai:
  • Dica para divulgar um evento no twitter

    Uma boa ferramenta para divulgar um evento promovido por você ou por algum conhecido/empresa no twitter é o Lambitter. A ferramenta proporciona a divulgação através de hashtags(#) e ainda monitora número de visualizações, comentários e montagem de lista de tuiteiros que participarão do evento.

    O gadget possui ainda vantagem de não obrigar a digitação da sua senha do twitter, mas assim apenas a permissão através do ‘Sign in with Twitter’. #ficaadica

    http://lambitter.com/lambs - Clique na imagem para melhor visualização


    Espalhe por ai:
  • Politweets – O twitter na política brasileira

    Uma dica bacana, dada pelo @gabrieleite, é o site Politweets. O site é uma criação da empresa Eztiva e disponibiliza ambiente de fácil navegação para interação entre políticos e usuários. Já há vários políticos cadastrados e é possível acompanhar em tempo real as intenções de votos dos tuiteiros e é um exemplo interessante de comunicação social política, mediada pela internet e uma rede social.

    politweets-o-twitter-na-politica-brasileira_1280546295122-copia#ficaadica

    Espalhe por ai:
  • A Revolução da Informação

    Não é nenhuma constatação bombástica que a nova revolução em curso é a revolução da informação. O ser humano vive um momento de multiplicação de formas e de velocidade midiática nunca visto anteriormente. Os produtos dirigidos para usabilidade neste segmento tornam-se obsoletos em no máximo seis meses.  Peter Drucker afirmou, em meados do ano 2000, que “emergência explosiva da Internet como importante (e, talvez, com o tempo, o mais importante) canal mundial de distribuição de bens, serviços e, surpreendentemente, empregos na área administrativa e gerencial”.

    O período de comunicação unilateral, ou seja, realizada única e exclusivamente por um emissor para o(s) receptores sem feedback instantâneo, ficou para trás. Neste momento a comunicação é caótica e a retroatividade também difusa. Impressionante como, cada vez mais, os jovens se utilizam de vários meio ao mesmo tempo e, como diz Luli Radfahrer “um jovem hoje assiste tv, passeia por multicanais, ouve música, acessa internet tudo ao mesmo tempo e  quando um amigo(a) pergunta no celular o que ele está fazendo, a resposta é: nada“.

    Mais incrível ainda é, como dito acima, a velocidade que esta geração absorve as mudanças, por exemplo: em 2006 o Google contabilizou uma média de 2,7 milhões de pesquisas/mês e em 2009 este número saltou para mais de 31 bilhões de consultas/mês.

    Faça abaixo um teste simples, coloque seu nome e na caixa de consulta e verifique a quantidade de informações como resultado.


    Concluindo, esta revolução não tem mais retorno e, cabe aos seres humanos e empresas adaptarem seus recursos para que compreendam em tempo real o que acontece a sua volta e as atentem-se às mudanças dos comportamentos, cultura e métodos a partir da proliferação dos mecanismos multimídias e do avanço da internet. Aos usuários, acompanhar e ter capacidade crítica de debater sobre as melhorias e necessidades para sua vida e como as interfências moldam os valores inseridos na sociedade.

    Como “cenas do próximo capítulo, seguem dois vídeos com convergências midiáticas que logo logo estarão mais presente entre nós:



    Espalhe por ai:
  • Jogos sociais

    Uma das necessidades humanas é a aceitação social! Este conceito embasa o crescimento exponencial das mídias e redes sociais. Um grupo considerável de pessoas, principalmente jovens,  objetivam algo mais do que navegar na internet como mero expectadores passivos, mas sim, possuem uma demanda latente em participar  e interagir de alguma forma, além de serem vistas e usufruirem de certo grau de popularidade na rede.

    farmville

    Esse argumento é facilmente evidenciado no crescimento exponencial dos chamados “jogos sociais”, ou seja, jogos interativos em redes, tais como, os RPG, games on line e mais recentemente, os games incluídos em redes sociais como facebook e orkut, por exemplo. Aproveite e assista excelente reportagem do programa Olhar Digital, abaixo.

    Espalhe por ai: