• Atividade prática de Gestão de Produtos


    Descrição e análise de Cadeia Produtiva (de industrialização direta e compra e revenda); análise de oportunidades de marketing; definição do produto e seus níveis; descrição do composto/mix de produto; elaboração de ficha técnica de produto; análise SWOT e CVP; elaboração de planilha de custos e preços; análise de viabilidade comercial; desenvolvimento do produto; embalagem e apresentação, transporte, criação de marca; planejamento de promoção de vendas; produção e comercialização foram etapas realizadas por meus alunos durante atividade acadêmica da disciplina Gestão de Produtos, sob minha responsabilidade.

    As ações conciliaram teoria e prática sobre a função de um gestor de produtos com real  comercialização no campus universitário em um intervalo de 2 horas por grupo.  Os objetivos foram alcançar lucratividade (montagem de relatório final) e principalmente a aprendizagem de cada etapa desenvolvida.

    Espalhe por ai:
  • Uma bacana ação de mídia indoor em elevador de shopping


    Toda ação de comunicação mercadológica em ambientes fechados – dentro de estabelecimentos – é chamada de mídia indoor. A inserção deve ser planejada para não interferir negativamente no local e de tal maneira que se encaixe ao perfil de target a ser atingido.

    Com criação da agência DraftFCB de NY para a NabiscoCo, a campanha Oreo Elevator possui excelente nível de sutileza e criatividade, sem causar alteração no ambiente inserido e com impacto positivo. Bacana!

    Espalhe por ai:
  • Design de embalagem

    avemarketing - Um blog de marketing, gestão e comunicação.

    ↑ Grab this Headline Animator

    Imagine o mercado de alimentos pet. Se você fosse desenvolver uma embalagem destinada à esta categoria de produtos, obviamente usaria os estereótipos mais frequentes para compor os elementos semióticos da sua pack e da área de rotulagem. Lindos cachorrinhos e gatinhos em imagens bucólicas entre as unidades ou porções de sua ração, certo? Ou ainda, espertos animais em movimentos de verdadeiros atletas. Bem, isso é exatamente o que a B&G não usa em suas embalagens. Com as cores PB para diferenciação das linhas dog e cat, suas embalagens e rótulos compostos utilizam design requintado e ao mesmo tempo sóbrio que cria rápida identificação dos seus produtos no pdv. Evidente que tal estratégia deve estar amparada em ações de comunicação para quebrar o desconhecimento da marca, em um primeiro momento.

    beforegraingrou

    beforegrain_dog bg-dog-1

    Fonte: http://www.beforegrain.com/

    Fonte: http://www.beforegrain.com/ - Clique nas imagens para melhor visualização






    Espalhe por ai:
  • Publicidade de cigarros

    Sou publicitário e profissional de marketing e, como profissional responsável, entendo que algumas estratégias, propagandas e publicidades devem possuir um cuidado maior no que tange ao impacto que causará na sociedade como um todo. Desta forma, mesmo que a legislação vigente já permeie os deveres e regras correlatas, outras análises como consumismo, saúde pública, formação do ser humano e valores inseridos em uma sociedade devem ser levadas em consideração ao estabelecer uma prática estratégica de incentivo ao consumo. Uma situação bem emblemática é a comunicação dos produtos do segmento de tabacos (cigarro), os quais estatisticamente insinuam o consumo no início da puberdade. Está certo que o comportamento de grupo e influência dos amigos exerce poder determinante nas escolhas de alguns indivíduos, porém as partes envolvidas (sociedade, consumidores, indústrias, comerciantes, agências, órgãos públicos, ong’s e demais profissionais) creditam a sí parcela de responsabilidades referentes as consequências de suas atividades.

    Como citado acima, já há legislação (Lei 10.167/2000) reguladora de propaganda de produtos derivados de fumo, restringindo a ação ao próprio pdv.

    § 2o É vedado o uso dos produtos mencionados no caput nas aeronaves e demais veículos de transporte coletivo.”(NR)

    “Art. 3o A propaganda comercial dos produtos referidos no artigo anterior só poderá ser efetuada através de pôsteres, painéis e cartazes, na parte interna dos locais de venda.

    IV – não associar o uso do produto à prática de atividades esportivas, olímpicas ou não, nem sugerir ou induzir seu consumo em locais ou situações perigosas, abusivas ou ilegais; “Art. 3o-A Quanto aos produtos referidos no art. 2o desta Lei, são proibidos:

    I – a venda por via postal;

    II – a distribuição de qualquer tipo de amostra ou brinde;

    III – a propaganda por meio eletrônico, inclusive internet;

    IV – a realização de visita promocional ou distribuição gratuita em estabelecimento de ensino ou local público;

    V – o patrocínio de atividade cultural ou esportiva;

    VI – a propaganda fixa ou móvel em estádio, pista, palco ou local similar;

    VII – a propaganda indireta contratada, também denominada merchandising, nos programas produzidos no País após a publicação desta Lei, em qualquer horário;

    Entretanto, apesar dos itens indicados, a comunicação em pdv tornou-se um aliado importante para a indústria de tabaco, seus departamentos de marketing e para as agências de publicidade que desenvolvem estratégias de promoção de vendas. Por isso, há o questionamento atual sobre a manutenção ou não da comunicação em pdv.

    Outros dados sobre o comportamento e consumo de cigarro:

    Fonte: www.propagandasemcigarro.org.br

    Fonte: www.propagandasemcigarro.org.br

    Exposto esses fatos, o blog avemarketing quer saber sua opinião formada sobre o assunto. Deixe seu comentário.

    Espalhe por ai:
  • Ação criativa das Lojas Marisa

    Muito bacana a ação “TAPUME” de pdv das Lojas Marisa durante a reforma e modificação de alguns pontos de venda para lojas exclusivas de lingeries. A criação foi da Fischer+Fala.
    A dica foi do @criaufmg.

    Bem, e aí, qual sua opinião? As mulheres gostaram? Se sim, porquê? Se não, porquê? E os homens?

    Confira no vídeo abaixo:

    TAPUME – Marisa Lingerie from Lojas Marisa on Vimeo.

    Espalhe por ai: