• Mercadorias essenciais

    Um coetiquetadepreconceito bem simples e fundamental na gestão de marketing de varejo é o das mercadorias essenciais. O entendimento é de que, em uma empresa atuante no varejo (varejo é um ramo de negócio que faz a intermediação entre produtor e consumidor final, ex. loja/comércio) há que se planejar a disponibilização no ponto de venda, de linhas de produtos ou até mesmo marcas que sejam essenciais dentro do foco de atuação. Exemplo: em um supermercado há uma gama de produtos e marcas que são obrigatório(a)s no pdv, nas mais variadas seções. Vamos fazer um exercício? Considere um varejo focado em vestuário infantil para classe A/B. Estabeleça as mercadorias essenciais.

    Espalhe por ai:
  • Comunicação excessiva no pdv

    A comunicação dentro do ponto de venda (utilização de mídia indoor) tem importância fundamental para orientação e chamariz para determinado produto ou informação de atributo/benefício. Trata-se  de uma ação tática, de forma a alcançar resultados no curto prazo, ainda mais quando consideramos os altos índices de “decisão de compra” que acontecem no próprio pdv. Porém, alguns empresário cometem equívocos ao não desenvolver boa gestão da comunicação e pensar que deve comunicar tudo e em todo espaço disponível.  Desta forma, o excesso de comunicação cria ruídos desnecessários e  provoca justamente o efeito contrário, pois causa fadiga visual e não cria a atenção seletiva.

    Fonte da imagem: Supermercado Moderno.

    Fonte da imagem: Supermercado Moderno.

    Espalhe por ai:
  • Vitrine interativa

    A vitrine de um varejo com loja é um ponto nobre do estabelecimento, ou seja, funciona como uma intensiva promoção de vendas permanente onde o espaço deve ser otimizado para despertar a atenção e interesse do consumidor. Na vitrine é possível divulgar lançamentos, parcerias, promoções, coleções, famílias de produtos e comunicação em textos, imagens vídeos. Além disso, dois  itens são fundamentais: a localização do varejo (ponto) em área aberta ou fechada com bom fluxo do target e o posicionamento físico da vitrine.  Recomendo também a alteração frequente da organização da vitrine, de modo a criar sistemática de curiosidade aos transeuntes.

    Abaixo, um interessante exemplo de vitrine e fachada de pdv com utilização da tecnologia LED.

    Via Varal

    Espalhe por ai:
  • Exibitécnica no pdv

    Vi este display do tipo totem em um supermercado da cidade que moro e, em um primeiro momento, não gostei da estética e acabamento simples do mesmo. Entretanto, ao analisar com mais calma, destaco o excelente posicionamento em L e a proporção de visão no fundo e lateral da gôndola. Esta característica positiva do mesmo poderia até ser reforçada com o posicionamento do splash no ângulo de visão, e com utilização de móbile ou adesivo de piso.  Obs.: as fotos foram tiradas com celular.

    Espalhe por ai:
  • Teletransporter – Cerveja Andes

    Meu amigo Prof. André Fassa deu a dica de uma ação realizada no pdv pela marca de cerveja Andes, na Argentina. O “Teletransporter” é uma cabine com isolamento acústico que permite que o cliente faça ligações telefônicas com um som ambiente que simula outro ambiente/local É uma grande brincadeira que agrada a clientela do bar. A atração é um sucesso.

    Tal ação deve ser acompanhada de distribuição forte e um complemento promocional que pode ser através de precificação ou com material comunicacional no pdv.

    A criação esteve a cargo do agência Del Campo Nazca Saatchi & Saatchi.

    Espalhe por ai: