• Desconectar para conectar


    Uma das características que norteiam o ser humano atual é a alta conectividade com gadgets e tecnologias de informação e comunicação que, paradoxalmente, ao mesmo instante que proporcionam a aproximação entre indivíduos distantes fisicamente, podem distanciar os que estão mais próximos devido a imersão em tarefas antes inexistentes.

    “a informática está mudando radicalmente nosso modo de viver e, talvez, de pensar” (CHESNEAUX, 1995, p.109).

    Interessante observar como as redes sociais convergentes através dos recursos de tecnologia com o propósito de agregar e intensificar relacionamentos justamente conduzem comportamentos individualizados onde cada ser humano fica imerso em seu próprio hardware/gadget, sem perceber o mundo real ao ser redor. Há um risco associado a esse comportamento através da criação de multidões egocêntricas. Tal comportamento pode estar relacionado ao TER, ato de possuir e apropriar-se dos objetos como fonte de reforço da personalidade, como se fosse o único recurso norteador da vida e símbolo de poder, acima do desenvolvimento intelectual e moral. Vejamos o comportamento dos consumidores em relação ao produtos Apple. A medida que os produtos e tecnologia estabelecem novas formas de escrita e oralidade (um exemplo é a internet e a sucessão de novas abreviaturas e gírias – internetês) está instalado o princípio de um novo mecanismo de condicionamento dominante. Embalados pelos recursos e experiências de uso, os consumidores são conduzidos a um comportamento de exagero, a ponto de causar situações dignas de fanatismo exacerbado, por conta de produtos que, em teoria, são passageiros conforme entendimento derivado do “Ciclo de Vida de Produto” (Kotler, 1995).

    “Toda tecnologia jamais é apenas um instrumento de uso, mas, também e principalmente, um instrumento que usa e condiciona os seus usuários” (BELLEI, 2002, p. 14).

    Em alguns momentos, faz-se necessário uma reflexão e aprofundamento filosófico sobre o eu e nossa relação como mundo. “Vamos desconectar do mundo e nos conectar com o próximo”.

    Espalhe por ai:
  • Um dia feito de vidro

    No início deste ano a companhia Corning, responsável pelo produto GorillaGlass (telas touch que equipam vários gadgets da Acer, Asus, Dell, LG, Lenovo, Motorola, Nec, Nokia e Samsung) apresentou um vídeo muito interessante com sua visão sobre o futuro do mundo. Retratando o cotidiano, o vídeo mostra as prováveis interações entre homem-tecnologias a partir da aplicação touch screen em telas de vidro duras e flexíveis.  Interessante ressaltar que algumas aplicações demonstradas até já existem e estão disponíveis comercialmente, como por exemplo, a tecnologia Amoled.

    Espalhe por ai:
  • Samsung ironiza Apple em comercial do Galaxy S2

    Imagem: forum.dailymobile.se

    E a Samsung se baseou justamente no fato do fanatismo por uma marca (uma das conquistas da Apple, com sua força de brand) para criar o tema – “O próximo grande produto já chegou” – do novo comercial do Galaxy S2. O vídeo, sem exposição/citação direta da marca concorrente, ironiza as filas que se formam antes do lançamento dos produtos da marca da maça e ainda de quebra insinua que os mesmos não são tão atualizados assim, ao não possuirem alguns atributos (tamanho da tela e conexão 4G) e benefícios existentes no smartphone coreano. A guerra continua!

    Espalhe por ai:
  • Projeção 3D fantástica

    Em outro post (aqui) comentei sobre as projeções 3D e suas utilizações na publicidade, entretenimento e eventos em geral. Fato é que a técnica tem se desenvolvido muito rapidamente e hoje é possível assistir projeções com qualidade que beira a perfeição e realismo.

    “A projeção em 3D consiste de um método que mapeia elementos tridimensionais de um local e os reutiliza na hora da exibição de dados em planos bidimensionais. Ou seja, todos os elementos como profundidade, altura e volume, são relevantes na hora de se projetar algo em um plano, tornando tais elementos parte dessa projeção.” Fonte: Jornal do Empreendedor.

    Selecionei dois vídeos com exemplo da qualidade acerca das projeções atuais. O primeiro trata-se de uma projeção feita no parque Efteling, na Holanda e o segundo é fruto de uma campanha promocional da marca Adidas.

    Veja também
    ::Projeção 3D da Coca-Cola
    ::Projeção 3D no Cristo Redentor

    Espalhe por ai:
  • M-Commerce – uma realidade ou uma necessidade?

    Com o crescimento nada surrprendente de smartphones e tablets em todo o mundo nada mais natural do que empresas inteligentes criarem ambientes favoráveis para os visitantes de seus sites que utilizem seus gadgets para acessá-los. Por isso, o e-commerce precisa correr e criar sua versão mobile, ou seja, o m-commerce.

    Rapidez, praticidade e mobilidade. Acessar uma loja virtual em qualquer lugar e a qualquer hora realmente se torna atraente. Hoje, quando ninguém mais encontra tempo de estar em frente a um computador fora do ambiente de trabalho, é ainda mais compreensível. Mais de 200 milhões de celulares brasileiros podem hoje desfrutar de compras diretamente de seus aparelhos por alguns sites que já saíram na frente. No Mercado Livre, por exemplo, 2% das compras são feitas por dispositivos móveis. Dentre os queridinhos dos geeks estão os aplicativos para iPhone e Android, ágeis e simples.

    Muitas são as possibilidades deste modelo de negócios. Uma delas é a utilização do GPS do aparelho conectado para estimar o valor do frete, como case recente da loja Crutchfield. Já a gigante Amazon continua inovando e permite que os usuários tirem fotos de produtos que desejam e seu m-commerce apresenta resultados de busca relacionados com preço, possibilidades e muitos outros benefícios.

    Mas ainda existem desafios a serem superados. Um deles é a melhora na conexão 3G, que aqui no Brasil não atende tão bem, diferente do cenário exterior que já pode experimentar boas oportunidades com o comércio virtual móvel. De qualquer forma é hora do e-commerce investir esforços para transformar suas lojas também acessíveis por celulares e tablets. Reformular layout, deixá-lo leve e com usabilidade impecável. Esperamos ainda por outros bons exemplos tupiniquins do bom m-commerce.

    Espalhe por ai: